Os empregos do futuro

Os empregos do futuro

Em um mundo globalizado e altamente dependente de novas tecnologias, o universo digital vem transformando radicalmente a maneira como pensamos, agimos e trabalhamos. A cada ano, novas profissões estão sendo criadas no mercado de trabalho, como consequência de outras que estão morrendo por conta das inúmeras transformações sociais em nossa sociedade. Estar atento a tudo isto e se preparar de forma adequada para estas mudanças, serão fatores fundamentais de sobrevivência e crescimento profissional neste século

Edição de outubro/2019 – p. 20

Os empregos do futuro

A conversa sobre o futuro do trabalho hoje, muitas vezes leva ao crescente medo de que os trabalhos sejam digitalizados ou sejam direcionados aos robôs. E, embora seja verdade que muitos empregos provavelmente serão automatizados, inúmeras outras serão criadas pelas novas tecnologias.

À medida que a quarta Revolução Industrial se desenrola afetando de forma direta e indireta vários outros setores da economia, empresas de todos os portes estão cada dia mais buscando por inovações, tecnologias e novos modelos de negócio, como forma de atingir níveis mais altos de competitividade através do aumento da eficiência da produção e serviços, gerando menores custos e maior consumo por potenciais clientes, permitindo assim, a expansão da empresa para novos mercados que são compostos já, por uma geração de nativos tecnológicos e digitais.

Assim sendo, para aproveitar o potencial transformador da quarta Revolução Industrial, a atual explosão de novas tecnologias, algoritmos, sensores e meios digitais, estão alterando de forma profunda o mercado de trabalho como conhecemos, criando novas profissões, descontinuando ou atualizando outras, de forma a enfrentar os desafios desta nova era de mudança acelerada e inovação.

Segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial – ONU (http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs_2018.pdf), o mundo passará por grandes transformações nas próximas décadas, com forte tendência a utilização de meios digitais para solução de problemas, bem como, o aumento da “robotização”/automação de atividades, principalmente voltados à indústria e serviços. Haverá ainda, um aumento do emprego de tecnologias e inteligência artificial, assistido por máquinas e algoritmos, que ajudarão as pessoas no gerenciamento de tarefas simples e auxílio ao processo de decisão humana, ajudando as pessoas a serem mais eficientes em seus trabalhos e aproveitarem mais as atividades de lazer.

Segundo ainda, outro importante estudo da Universidade de Oxford (www.oxfordmartin.ox.ac.uk/downloads/academic/The_Future_of_Employment.pdf), devido ao advento da inteligência artificial e novos robôs, empregos como telemarketing, caixas de banco e supermercado, motoristas de táxi e caminhão, limpeza em geral, movimentação de carga, entre outros, tem mais de 80% de chance de desaparecerem e serem substituídos por máquinas e automação nos próximos 30 anos. Outras profissões como engenheiros, médicos e advogados tem menor chance de desaparecerem, mas já utilizam cada vez mais destas novas tecnologias (robôs/inteligência artificial) que começam a surgir, aumentando significativamente a sua produtividade, assertividade e eficiência do trabalho realizado.

Mas em linhas gerais, o que tudo isto quer dizer? Quer queira ou não, os empregos do futuro estão ligados diretamente a tecnologia e gerenciamento da automação de processos e trabalhos. Que para você se destacar, precisará cada vez mais das máquinas para fazer seu trabalho, e que as empresas estão buscando por profissionais com habilidades especiais e entendimento sobre as tendências do futuro, que começam a acontecer hoje. Quer dizer também, que os novos empregos que estão surgindo, vão exigir cada vez mais dos empregados, conhecimentos sobre computação, matemática, robótica e novas tecnologias, que permitirão ajudar as empresas, a ganhar competitividade e novos clientes.

Cada vez mais, as pessoas trabalham remotamente, de forma mais simples, comunicativa e eficiente. Novos programas de software e aplicativos, entre outros, surgem a todos os momentos para ajudar as pessoas a executarem suas tarefas, com menor custo, em menos tempo e melhor. Os trabalhadores do presente e do futuro, vão cada vez menos, depender de “força bruta” ou trabalho pesado para realizarem suas tarefas. Isto vai priorizar a inteligência e eficiência na execução das demais atividades e portanto, os novos empregos vão demandar por pessoas que priorizam conhecimento e a qualidade das informações, bem como, que estejam ligados a tecnologia de forma geral, passando portanto, por um processo de atualização de conhecimento e habilidades, se quiserem se manter empregados ou mesmo, se almejam por melhores salários.

Não estou dizendo que a partir de agora, todos nós devemos entender a fundo de programar computadores ou robôs, mas sim, precisamos aprender e entender que as novas tecnologias e inovações que estão surgindo, vieram para ficar, e demandam de algum tipo de conhecimento para poderem ser operadas com eficácia, de modo a tirar o melhor proveito das mesmas. Quem se fechar para isto, ou seja, não se atualizar constantemente, com certeza corre grande risco de ficar sem emprego em um futuro próximo, ou mesmo, terá de se sujeitar aos baixos salários pagos para aquelas profissões que ninguém mais quer trabalhar.

Boa sorte e se precisarem de mais informações ou ajuda, contatem o Jornal Nossa Gente por telefone ou e-mail, ou mandem um e-mail para mim: livio@gotousa.pro, que ficarei feliz em ajudar. Até a próxima…