Ordem judicial restabelece direito ao imigrante perseguido de solicitar asilo na fronteira

Famílias imigrantes poderão ser avaliadas e ter o direito de proteção nos EUA com a nova ordem judicial

A ordem judicial restaura o direito das famílias imigrantes de citar o medo de perseguição e tortura como um caminho para buscar proteção nos EUA. Os requerentes de asilo na fronteira podem ser autorizados a entrar no país

Da Redação

Após controvérsias quanto aos imigrantes na fronteira do país que solicitaram asilo por perseguição e tortura, uma ordem recente de um juiz federal em Washington, DC, restabelece às famílias imigrantes o direito de entrar nos EUA. E apesar de uma política de saúde pública conhecida como “Título 42”, que impediu que quase dois milhões buscassem asilo nos EUA, agora é possível reaver essa proteção.

______continua após a publicidade_______

seguro

Uma ordem, que restaura a capacidade das famílias imigrantes de citar o medo de perseguição e tortura como um caminho para buscar proteção nos EUA, coincide com uma ordem separada, na Louisiana, que nega que o governo do presidente Joe Biden levante o “Título 42”.

Uma nova orientação divulgada pela “Alfândega e Proteção de Fronteiras” entra em vigor a partir da próxima semana, segundo documentos disponibilizados à imprensa. Estabelece que se um oficial do “CBP” detectar que a menos um membro da família expresse verbalmente ou não verbalmente “uma manifestação de medo”, se for expulso do país, a família deve ser liberada para entrar nos EUA.

A família requerente de asilo na fronteira deverá então aguardar um julgamento ou deve ser levada a um oficial de asilo que possa determinar se é provável que seja perseguida ou torturada pelo seu país de origem.



____________________publicidade___________________

seguro

anuncie