O voo mais alto

O voo mais alto

Medalha nas Olimpíadas do Rio de Janeiro é a meta de Renato Rezende, do ciclismo BMX

por Luiz Humberto Monteiro Pereira

jogoscariocas@gmail.com

Entrevista com Renato Rezende, da seleção brasileira de ciclismo BMX – Fotos de Márcio Rodrigues/Divulgação/Nissan com arte de João Kreitlon
Renato Rezende, da seleção brasileira de ciclismo BMX – Fotos de Márcio Rodrigues/Divulgação/Nissan com arte de João Kreitlon

A bicicleta levou o carioca Renato Rezende longe. Em 2012, quando tinha 21 anos, foi o primeiro brasileiro a participar de uma prova de BMX nos Jogos Olímpicos, em Londres. De lá para cá, foi campeão latino-americano em 2012, no Chile, vice-campeão do Red Bull R.Evolution em 2013, em Berlim, quinto lugar nas etapas de Berlim e Santiago da SX World Cup 2014, campeão sul-americano em 2014, vice-campeão pan-americano de 2014, no Equador, campeão brasileiro de 2014 e campeão pan-americano de 2015, no Chile. Desde março de 2014, Renato mora em Chula Vista, no estado norte-americano da Califórnia. Lá, se dedica integralmente aos treinamentos visando as Olimpíadas do Rio de Janeiro. “Meu objetivo é chegar à final. Se esse objetivo se concretizar, farei todo o possível para tentar trazer uma medalha olímpica para o BMX brasileiro”, avisa o ciclista, às vésperas de completar 25 anos – dia 28 de fevereiro. Para bancar o sonho de ser um ciclista BMX profissional, Renato conta com um amplo leque de patrocinadores, que inclui Nissan, Caixa, COB, Confederação Brasileira de Ciclismo, Neonutri, Oakley, Shimano, GT Bicycles, Tioga, Slyde e Hotéis Monreale, além da Bolsa Pódio do Ministério do Esporte.

Jogos Cariocas – Como se aproximou do BMX?

Renato Rezende – Eu tinha 7 anos e fui brincar no Parque Municipal da cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais. Lá há uma pista de bicicross e eu fiquei encantado quando vi aqueles caras saltando as rampas com a bike. Assim surgiu minha paixão pelo BMX. Pouco tempo depois de começar a praticar, percebi que era aquilo o que eu gostaria de fazer pelo resto da minha vida.

Jogos Cariocas – Quais são seus pontos fortes no esporte? E quais fundamentos precisa aprimorar?

Renato Rezende – É sempre difícil fazer uma autoavaliação. Meu ponto forte é a dedicação ao alto rendimento e a técnica. Como o BMX é um esporte que combina técnica e força, então acho que a parte que eu sempre preciso aprimorar é a força.

Jogos Cariocas – Como o BMX influiu no seu jeito de ser?

Renato Rezende – Eu sou um cara calmo, na verdade. Gosto muito de andar de bike e de atividades ao ar livre. Mas também gosto bastante de aproveitar um tempo em casa com minha família, minha noiva e meus amigos.

Jogos Cariocas – Qual é a parte legal de praticar o BMX?

Renato Rezende – Eu sou um apaixonado pelo BMX, e sou muito grato a Deus e ao esporte por tudo que me proporciona. Não acho que praticar o BMX tenha nenhuma parte chata, na verdade.

Jogos Cariocas – Onde treina atualmente?

Renato Rezende – Eu treino em Chula Vista, na Califórnia, onde estou morando desde 2014. Treino normalmente em dois períodos, cuido da minha alimentação e vivo com foco total no rendimento. Sou muito grato a toda a minha equipe técnica, que acompanha minha rotina diariamente.

Jogos Cariocas – Qual foi seu momento mais emocionante, dentro do esporte?

Renato Rezende – Eu me lembro de dois momentos muito marcantes: um foi quando me tornei campeão mundial na categoria Elite Cruiser e outro quando pude representar o Time Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

Jogos Cariocas – Já sonhou com os Jogos Rio 2016?

Renato Rezende – Eu sonho com Rio 2016 todos os dias! Atualmente estou na 13ª posição do ranking mundial e venho conseguindo excelentes resultados no cenário internacional. Trazer uma medalha do BMX para o Brasil é a minha meta.

Jogos Cariocas – O fato de estar em casa pode representar uma vantagem para os atletas brasileiros?

Renato Rezende – Do ponto de vista técnico há pouca vantagem. Mas, sem dúvidas, ter a torcida brasileira vibrando a meu favor vai ser uma grande motivação.

Jogos Cariocas – Você participou da inauguração do circuito olímpico de BMX de Deodoro, quando faturou a medalha de bronze no Desafio Internacional de BMX, om outubro de 2015. O que achou do circuito?

Renato Rezende – Apesar das correções que tiveram que ser feitas no decorrer do evento, eu achei a pista muito bacana. Tenho certeza que em agosto tudo estará pronto para uma grande festa do esporte brasileiro.

Curta a página de “Jogos Cariocas” no Facebook, em www.facebook.com/jogoscariocas

edf P H