O que é zumbido no ouvido?

O que é zumbido no ouvido?

voltar

JAN/16 – pág. 45

sua_saude_elaine2

Sinônimos: zumbido nos ouvidos, ruídos ou zunido nos ouvidos, zunido no ouvido.

Zumbido é um som percebido nos ouvidos ou na cabeça na ausência de um estímulo sonoro do ambiente. Ou seja, uma percepção sonora sem uma fonte de som externa. O zumbido não é uma doença em si, na verdade é um sintoma de uma condição de saúde que afeta algum ponto da via auditiva.

Com frequência, o zumbido é acompanhado de outros sintomas, como perda auditiva, tontura e intolerância a sons altos, que também refletem o estado dos ouvidos e prejudicam a vida de quem convive com o zumbido.

É impossível saber como é exatamente o ruído do zumbido. Apesar do nome, sabe-se que poucas vezes lembra um “zzzzz”, como o de um enxame de abelhas. Pelos relatos, supõe-se que o som não seja sempre o mesmo. “Pacientes comparam com barulho de cigarra, apito, concha, panela de pressão, chiado, cachoeira”. As referências a cigarra e apito são as mais comuns.

Causas

Condições que levam ao zumbido podem ter origem no próprio sistema auditivo ou em outros sistemas que afetam o ouvido de forma indireta.

Os principais problemas originados no sistema auditivo são:

  • Perda auditiva relacionada à idade;
  • Exposição a ruídos altos, tanto no lazer quanto no trabalho;
  • Bloqueio por cera;
  • Alterações dos ossículos da audição;
  • Doença de Ménière;
  • Neurinoma do acústico (tumor raro que acomete o nervo auditivo).

Doenças que tem origem em outros sistemas e que podem afetar o sistema auditivo estão abaixo relacionadas:

  • Distúrbios da articulação têmporomandibular e outras alterações odontológicas;
  • Alterações metabólicas: dos açúcares, gorduras e deficiência de vitaminas;
  • Alterações hormonais: tireoide e hormônios sexuais;
  • Distúrbios cardiovasculares: hipertensão arterial mal controlada e arritmias;
  • Distúrbios psiquiátricos como depressão e ansiedade;
  • Malformações de vasos da cabeça e pescoço.

Outras situações frequentemente relacionadas ao zumbido:

  • Maus hábitos alimentares: consumo abusivo de doces, café e períodos prolongados de jejum;
  • Cigarro e bebidas alcoólicas: pioram a percepção do zumbido;
  • Medicamentos: uma lista grande que inclui antibióticos, diuréticos, quimioterápicos, AAS (aspirina) e outros anti-inflamatórios em altas doses e alguns antidepressivos.

Buscando ajuda médica

Na maioria dos casos, felizmente, não se trata de uma doença grave, mas é importante buscar a ajuda de um especialista para identificar os casos que necessitam de investigação mais aprofundada, por exemplo para descartar tumores. Alguns distúrbios metabólicos podem ter o zumbido como um dos seus sintomas iniciais, e a investigação fará o diagnóstico. Quanto mais precoce for o tratamento, melhor a resposta.

Entre as especialidades que podem diagnosticar um zumbido no ouvido estão:

  • Clínica médica
  • Otorrinolaringologia
  • Neurologia
  • Endocrinologia

Você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram;
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Como são os ruídos que você ouve?
  • O som que você ouve é pulsante ou rítmico?
  • Você ouve o ruído em um ou nos dois ouvidos?
  • Que outros sintomas você apresenta?
  • Quando você notou o zumbido pela primeira vez?
  • O zumbido é muito alto?
  • Em que medida o zumbido no ouvido atrapalha suas atividades diárias?

Tratamento para Zumbido no ouvido

Eliminando o zumbido

O primeiro passo é a correta investigação da causa. O zumbido pode ser relacionado com doenças agudas, como as otites e obstrução do canal auditivo por cerume. Nestes casos, o zumbido pode desaparecer em poucos dias, se o problema for resolvido.

Já passa doenças de maior gravidade, o tratamento será direcionado com base na origem do problema. Nos casos de perda auditiva, dependendo do grau, o uso de aparelhos auditivos pode amenizar e até eliminar o zumbido. É importante que a avaliação seja cuidadosa para afastar problemas mais sérios como tumores da via auditiva. Embora raros, eles podem se manifestar inicialmente apenas com zumbido. Determinados medicamentos podem tanto causar quanto agravar o zumbido e perda auditiva. Conforme avaliação médica, pode ser necessária a troca por medicações de menor toxicidade.

Modificações na dieta e no estilo de vida, como a prática de exercícios físicos, e o manejo de doenças como hipertensão, colesterol alto e diabetes também fazem parte do tratamento. Na suspeita de doenças cardiovasculares, a avaliação cardiológica é importante.

Um zumbido no ouvido pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os medicamentos mais comuns no tratamento de zumbidos no ouvido são:

  • Cinarizina
  • Clonazepam
  • Rivotril

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Nem sempre tem cura

Algumas pessoas podem sofrer com zumbido no ouvido de maneira crônica. O mais importante é a pessoa estar ciente de que não existe um único tratamento para todos. Cada caso precisa ser avaliado individualmente. Em alguns casos, após extensa investigação, não se encontra uma causa. Mesmo nesta situação, existem medicamentos e terapias disponíveis para tratar o zumbido. Uma terapia muito difundida é a Tinnitus Retraining Therapy (TRT). Ela se baseia na capacidade cerebral de plasticidade, isto é, o cérebro se habituar com o som a ponto de não mais notá-lo.
A tecnologia atual dos aparelhos auditivos permite programações específicas para zumbido mesmo nas pessoas que não apresentam perda auditiva. Nos casos associados à perda auditiva, um aparelho auditivo bem adaptado à pessoa costuma resolver o problema.

Fonte: Clínica Mayo – Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia


Elaine Peleje Vac
elaine@nossagente.net
(Médica no Brasil)
Não tome nenhum medicamento sem prescrição médica.
Consulte sempre o seu médico.