O humor debochado de Fábio Porchat

O humor debochado de Fábio Porchat

Revelação da nova geração de humoristas no Brasil comanda o “Programa do Porchat” nos fins de noite da Rede Record e viaja o Brasil com o stand up “Fora do Normal”, que estará em cartaz em Orlando, no próximo dia quatro de fevereiro

Fora_do_Normal_F_bio_Porchat_foto_2

De bochado e criando situações hilárias, seja no comando do talk-show “Programa do Porchat”, na Rede Record, no cinema ou no teatro com o stand up “Fora do Normal”, o humorista Fábio Porchat é destaque da nova geração do humor no Brasil. Ele estava na plateia do “Programa do Jô”, na Globo, assistindo ao programa quando chamou a atenção de Jô Soares e acabou indo para o centro da atração, falando de improviso e relatando fatos engraçados, a partir daí dando um passo importante no universo televisivo. Porchat também integra a equipe de humoristas de “Porta dos Fundos”, com milhões de acessos no Youtube, mostrando a sua versatilidade diante das câmeras e do público. “A televisão aberta está muito parada. Está havendo um ‘bundamolismo’. Há muito medo, um enorme compromisso com a audiência e com o anunciante. Não existe compromisso com o lado artístico”, ressalta o humorista quando opina sobre televisão no Brasil.

Quanto aos resultados do seu programa nos fins de noite na Rede Record – “Programa do Fábio Porchat” -, o humorista é extremamente positivo. “O balanço é muito favorável. A gente vai muito bem, desde a estreia, com a crítica e o público a favor”, argumenta. “Eu me sinto hoje mais à vontade, percebo que consigo liderar o programa com mais discernimento de tudo. Vou para uma entrevista mais para como um bate papo e menos para seguir um roteiro”, completa. O apresentador já se envolveu em aventuras durante a exibição do talk-show, como, por exemplo, cheirar um rapé, uma espécie de tabaco para inalação. “Fiquei doido, mas deu tudo certo”, revela Porchat aos risos. “Eu não acharia graça de ficar de longe olhando meio superior, eu quero tá no meio da bagunça sempre”, afirma.

“Até cinco anos atrás só tinha o Jô Soares, e o Jô não era só uma referência como é, mas também era a única coisa que existia”, reflete. Com o programa “The Noite”, Danilo Gentili – no SBT -, ao olhar de Porchat, um formato diferente para a televisão foi incorporado na televisão, nos moldes dos programas dos Estados Unidos, apresentando ao público um novo modelo de se fazer humor. “O Danilo foi amaciando a carne e eu botei ela no churrasco”, brinca o humorista. “Vou ganhando o meu espaço é isso é importante, pois tenho entrevistados hilários e isso chama a atenção do público”, enfatiza.

Surpreendentemente, ao contrário de a maioria dos apresentadores, Fábio Porchat costuma se assistir nos programas para analisar a sua atuação como apresentador na Record. “Eu tenho que me ver para aprender, para ver o que eu errei, o que eu acertei. Enfim, para ver o que está funcionando no programa como um todo”, comenta. “Outro dia eu vi um que eu estava aos berros e eu perguntei ‘por que eu to gritando?’ então é importante ficar de olho nisso porque, como diz aquele ditado antigo, ‘é errando que se aprende’”, completa.

Fábio e o stand up em Orlando

Viajando o Brasil stand up “Fora do Normal”, que está em cartaz desde 2010 e que vem agradado plateias. De lá para cá, adianta Fábio Porchat, muita coisa mudou. “O espetáculo é um só, é fechado, então a ideia é manter o mesmo texto, com algumas alterações. É claro que ele muda internamente, eu mesmo troco a ordem dos esquetes, mas o texto em si é o mesmo”, avisa. “São sempre coisas já vivenciadas por mim. Eu falo sobre as minhas viagens para o Japão, Marrocos e Egito, sobre situações do meu relacionamento. A peça inteira é muito em cima de mim e minhas experiências. Como eu morei em São Paulo por 19 anos eu também tenho um lado paulista na veia. Eu me sinto muito em casa quando falo de São Paulo. O público paulistano adora dar risadas, então a minha expectativa é a melhor possível. Mas o espetáculo tem viajado o Brasil e agora está se preparando para uma apresentação em Orlando, na Flórida”, relata com entusiasmo.

No próximo dia quatro de fevereiro o humorista e apresentador Fábio Porchat estará em Orlando, no teatro do Dr. Phillips Center – em Downtown Orlando -, às 21 horas, para apresentação do stan up “Fora do Normal”. O evento é uma realização da “Bis Entertainment”, dando sequência ao Projeto de Priscila Triska em proporcionar a cultura teatral aos brasileiros residentes na Flórida, também abrindo oportunidade para americanos e hispânicos de conhecerem a cultura teatral brasileira. Lembrando que os ingressos já estão à venda. Um espetáculo imperdível.

Reprodução-Curitiba-Shopping

Filho do político, roteirista e empresário Fábio Ferrari Porchat de Assis,  ainda bebê, transferiu-se com a família para São Paulo, onde morou até os 19 anos de idade. Sua estreia no palco ocorreu em agosto daquele ano, quando cursava o primeiro ano do curso de administração da ESPM. Fábio foi com sua turma de faculdade ao “Programa do Jô” e, num dos intervalos da gravação, enviou um bilhete ao apresentador Jô Soares, explicando que gostaria de encenar um esquete de sua autoria. Jô chamou Fábio ao palco. Fábio encenou seu esquete – um agitado diálogo entre Rui e Vani, personagens da série “Os Normais” -, alternando rapidamente as falas dos dois personagens. Ao final foi muito aplaudido e elogiado pelo apresentador.

Mudou-se para o Rio de Janeiro a fim de cursar Artes Cênicas na CAL (Casa de Arte das Laranjeiras), onde se formou em 2005. No mesmo ano, montou a peça “Infraturas”, constituída por esquetes de sua autoria, dirigida por Malu Valle e na qual contracenava com Paulo Gustavo. O diretor Mauricio Shermann foi assistir à peça e convidou Porchat para integrar o quadro de redatores do programa humorístico “Zorra Total”, da Rede Globo, no qual Fábio também participou como ator. Posteriormente, ainda escreveu para o programa “Junto e Misturado” e foi roteirista na equipe do programa dominical “Esquenta”.

Fábio Porchat também é autor de várias peças teatrais encenadas principalmente no Rio de Janeiro. Além de “Infraturas”, escreveu “Olho de Boneca”, “Elas Morrem no Fim”, “Calabouço”, “Velha é a Mãe” – esta última, encenada por Louise Cardoso e Ana Baird , obteve o primeiro lugar em concurso promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil, em 2006. No mesmo ano, seu esquete “O Crítico” ganhou o Prêmio do Júri Popular no Salão Carioca de Humor.

Participou em 2013 do quadro “Medida Certa” do programa Fantástico, da Globo. Já atuou em diversos filmes de sucesso, como por exemplo “Meu Passado me Condena”, “O Concurso”, “Vai que dá Certo” e também dublou o personagem Olaf, na versão brasileira de “Frozen: uma Aventura Congelante”. Em 2016, foi contratado pela Rede Record, para conduzir um programa de entrevistas no final da noite, continuando no canal pago Multishow.