O Colar de Pérolas

voltar

JAN/13 – pág. 52

Num dia qualquer em meados do século passado, Ester, uma linda menina com brilhantes olhos azuis e cabelos negros, então com sete anos, estava saindo de uma loja e sua mãe a puxava pela mão. Num dado momento, a jovem senhora percebe que Ester para diante de uma vitrine, com os olhos fixos em algo, era um colar de pérolas, a mãe verifica o preço, CR$8.250,00 o equivalente a R$5,00, era uma bijuteria.

Os olhos de Ester falavam mais que a boca: – Mamãe, por favor, posso comprar este colar?

Como a menina andava muito sapeca e até desobediente, a mãe viu ali a oportunidade de uma troca e retrucou: – Mas, minha filha, seu aniversário é só no mês que vem! E depois outra, você tem se esquecido de ser obediente… não arruma mais o seu quarto e…

Imediatamente, Ester diz: – Mãe, se eu me comportar direitinho, você compra? Por favor, eu prometo.

– Está bem, Ester, eu acredito em você, disse a mãe e assim a menina logo mais chega eufórica em casa e mostra ao pai o lindo presente. Ele se emociona com a alegria da filha.

Daquele dia em diante, Ester só tirava o colar para tomar banho e, ainda assim, sob protestos.

Banho terminado, ela vai pra frente do espelho, coloca o colar de pérolas e diz:

– Mãe, pai, agora eu não estou mais linda?

E a mãe completa: – Mais linda e mais comportada, você é uma menina de palavra, está de parabéns, mereceria até uma colar de verdade.

Como fazia toda noite antes de dormir, o pai de Ester foi dar boa noite, só que desta vez antes de se despedir, ele pergunta à filha:

– Minha pequena, você me ama?

– Te amo muuuito, pai!

– Então, me dê o seu colar de pérolas.

– Meu colar pai?!! Será que você não prefere minha bicicleta com cestinha, assim você pode dar uma volta!

– Está bem filha, Deus te abençoe, te amo.

Dali a dois dias, na hora do beijo de boa noite, o pai pergunta novamente à Ester:

– Filha, você me ama?

– Você sabe que eu te amo, né, pai.

– Então, filha, me dê seu colar de pérolas.

– Mas pai, será que você não quer escolher outra coisa? Quer minha boneca de vestido vermelho?

– Está bem filha, Deus te abençoe, te amo.

Na noite de sábado, na hora do beijo de boa noite, quando o pai de Ester entra no quarto, ele percebe que ela andou chorando e pergunta preocupado: – O que houve minha filha?

– Sabe pai, andei pensando no seu pedido. E com olhar decidido, Ester estende a mãozinha em direção ao pai e deixa cair na mão dele o “amado colar de pérolas”.

E o pai diz, ao mesmo tempo em que pega no bolso do pijama um saquinho de veludo azul e coloca na mão da filha: – Abra minha pequena, este é de verdade.

Ester desata o nó do saquinho e, deslumbrada, tira dele a mais linda joia que já tinha visto: um colar de pérolas com fecho de ouro e brilhantes.

Depois de muitos beijos, Ester pergunta por que o outro não era de verdade.

A mãe da menina, então lhe mostra as diferenças: – As pérolas verdadeiras são mais brilhantes e acetinadas, além de serem geladinhas quando encostadas nos lábios.

E lá estava Ester novamente na frente do espelho, admirando-se com um colar de pérolas de duas voltas ao redor do pescoço, só que, agora, o espelho refletia a imagem de uma linda mulher de pouco mais de 50 anos. Seu pensamento esteve por instantes no passado.

Hoje, Ester é especialista em pérolas e design de joias de renome internacional. Numa estante em seu atelier, situado na Rua de Rivolli, 601, Paris, juntamente com suas primeiras peças, podemos ver uma boneca com vestido vermelho, um colar de pérolas com fecho de ouro e brilhantes e uma foto dela com o pai segurando uma bicicleta com cestinha.

Quando por amor damos algo que nos é precioso, o universo sempre se incumbe de nos presentear com algo ainda melhor.

Madu Caetano