Número de imigrantes ilegais nos EUA chega a 11,7 milhões

Número de imigrantes ilegais nos EUA chega a 11,7 milhões

Foto: Agência EFE
Foto: Agência EFE

Os imigrantes ilegais nos Estados Unidos já chegam a 11,7 milhões de pessoas, aponta um relatório divulgado nesta segunda-feira (23/09) pelo Centro de Pesquisa Pew. Em 2009, o número havia apresentado uma consideravel redução, principalmente pela recessão enfrentada pelo país no período. Com a melhora da economia, no entanto, mais e mais estrangeiros se mudaram para o país nos últimos anos.

O relatório vem à tona em um momento em que os grupos pró-imigrantes dão sequência a uma campanha de pressão nacional a favor de uma reforma migratória capaz de permitir a legalização desses imigrantes. No último dia 27 de junho, o Senado  aprovou a reforma. A mudança, porém, não deve passar pela Câmara dos Representantes, de maioria republicana, mesmo com a oposição ressaltando que estaria disposta a aprovar medidas individuais para cada aspecto da imigração ilegal.

Segundo o documento do Centro de Pesquisa Pew, em meados de março de 2012, havia um total de 11,7 milhões de imigrantes ilegais no país, uma leve alta em comparação com os 11,3 milhões calculados em 2009, sob a recessão econômica. Os mexicanos representaram 52% dos imigrantes ilegais em 2012, enquanto os provenientes de outros países totalizaram 5,65 milhões no último ano.

A população indocumentada tinha alcançado seu ponto máximo em 2007, com um total de 12,2 milhões de pessoas, mas registrou uma baixa em 2009, aos 11,3 milhões, rompendo a tendência demográfica das últimas décadas.

O Centro de Pesquisa Pew deixou claro que a população de imigrantes legais continuou aumentando nos últimos anos, apesar da população indocumentada corresponder apenas a um fragmento de 28% da população estrangeira (de 41,7 milhões de pessoas nos EUA). A população indocumentada alcançava 30% da população estrangeira em 2007 e 21% em 1995.

Segundo o relatório, 60% dos imigrantes ilegais continuam se concentrando em seis estados: Califórnia, Flórida, Illinois, Nova Jersey, Nova York e Texas. Entre os estados citados, apenas o Texas registrou um aumento da população de “imigrantes ilegais” e nenhum descenso nesse grupo demográfico entre 2007 e 2011.

Além dos seis estados tradicionais, que concentrava 80% de todos os imigrantes clandestinos em 1990, a população indocumentada se deslocou para outras regiões. Segundo o documento, o restante dos 50 estados do país registrou um aumento máximo em sua população indocumentada em 2007, seguido por uma nova queda nos dois anos seguintes.

O documento assinalou que a queda na população indocumentada depois de 2007 em toda a região foi maior entre os mexicanos, que, em 2012, conformaram 52% dos imigrantes ilegais. O Centro de Pesquisa Pew lembrou, no entanto, que o descenso entre a população indocumentada proveniente do México terminou em 2010.

O documento também assinala que o número de detenções de imigrantes ilegais por parte da Patrulha Fronteiriça aumentou continuamente ao longo da década de 1990 e, no ano fiscal de 2000, alcançou seu número máximo, de 1,7 milhões. Após um leve descenso entre 2001 e 2007, o número de detenções desceu drasticamente entre 2007 e 2011.

Fonte: epocanegocios.globo.com