Nova tempestade chega aos EUA trazendo muita neve

Nova tempestade chega aos EUA trazendo muita neve

A costa leste dos Estados Unidos acordou ontem (08 de novembro) cheia de neve e com um aumento na falta de energia devido a uma nova tempestade que atingiu o local, já bem devastado pela passagem da tempestade Sandy. Em Staten Island, região de Nova York mais afetada por Sandy, alguns moradores diziam que, devido à falta de energia, não sabiam quem tinha vencido as eleições presidenciais. O distrito foi atingido por cerca de 17 centímetros de neve entre a noite de quarta-feira e a manhã de quinta-feira.

As estradas e ferrovias estavam liberadas pelas autoridades, apesar da neve intensa em algumas partes de Nova York. Em Nova Jersey, algumas regiões chegaram a ter três metros de neve, que caiu durante a madrugada. De Connecticut a Rhode Island, a altura da neve variou entre 15,2 e 17,7 centímetros. “Já estou esperando por gafanhotos e pestilência”, brincou o governador de Nova Jersey, Chris Christie, na noite de quarta-feira.

Com relação às boas notícias, a nova tempestade ao menos não trouxe uma nova onda de inundações, como alguns moradores temiam. Na rede social Twitter, postagens de americanos reclamavam que a energia elétrica recém-estabelecida em suas casas tinha sido cortada novamente por causa da nova tempestade. Em Nova Jersey, cerca de 390 mil imóveis estavam sem luz na manhã de quinta-feira, sendo 160 mil delas casos novos, relacionados à nova tempestade.

Na cidade de Nova York e na vizinha Westchester, mais de 70 mil imóveis não tinham luz, sendo 55 mil casos novos. Na ilha de Long Island, foram 60 mil novos imóveis sem eletricidade, sendo que outros 300 mil já tinham sido afetados por Sandy. De acordo com as companhias locais, cerca de 375 mil novos casos de corte de luz foram registrados nesta quinta-feira.

Outras consequências As companhias aéreas cancelaram pelo menos 1.300 voos chegando e saindo da Grande Nova York. A falta de moradia continua sendo um problema, com 95 mil pessoas nos Estados de Nova York e Nova Jersey sem ter para onde ir. Os dados são da Agência Federal de Controle de Emergências.

Fonte: jornalagora.com.br