No Panamá, Dilma discutirá com Obama visita que fará aos Estados Unidos

No Panamá, Dilma discutirá com Obama visita que fará aos Estados Unidos

DILMA (FOTO: EFE)
DILMA (FOTO: EFE)

A presidenta Dilma Rousseff vai discutir no fim de semana, com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, à margem da Cúpula das Américas, no Panamá, a visita que fará aos Estados Unidos. O assunto já foi adiantado nesta quarta-feira (8) por ela e o vice-presidente norte-americano, Joe Biden, durante ligação telefônica.

Também por telefone, Dilma conversou com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que se manifestou favorável a uma relação com menos tensões entre o seu país e os Estados Unidos – posição apoiada pela presidenta. De acordo com a Secretaria de Imprensa da Presidência da República, Dilma ouviu do presidente Maduro a disposição de promover uma redução das tensões com os Estados Unidos, com base no “respeito mútuo à soberania nacional dos dois países”.

Além de saudar a iniciativa, a presidenta também se colocou à disposição para contribuir com a proposta do presidente venezuelano. O telefonema foi feito no início da manhã, quando Dilma e o Maduro discutiram a situação política do país vizinho e a Cúpula das Américas, que ocorrerá na próxima sexta-feira (10) e sábado (11).

“A presidenta reiterou a disposição do Brasil de continuar solidariamente desenvolvendo iniciativas que permitam fortalecer o diálogo entre o governo e as oposições venezuelanas, nos marcos do Estado Democrático de Direito daquele país”, informou o Palácio do Planalto.

Na ligação de Dilma com Joe Biden, eles confirmaram o encontro bilateral da presidenta com Obama, paralelo à cúpula dos países americanos, no Panamá. Em entrevista à agência Bloomberg News, na semana passada, ela manifestou intenção de discutir a viagem que fará aos Estados Unidos, mas disse que poderia não ser uma visita de Estado.

“Uma das questões que vou tratar com o presidente Obama é justamente a minha viagem, porque se eu fosse fazer uma viagem de Estado teria que ser em março do ano que vem. Mas, março do ano que vem já é em ano eleitoral. Então, provavelmente, eu não farei uma visita de Estado, farei uma visita de governo ainda este ano”, disse ela na entrevista.

Em 2013, Dilma cancelou uma visita de Estado ao país, após as denúncias de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos contra pessoas do governo brasileiro, incluindo ela própria e empresas estatais, feitas pelo ex-consultor de informática do órgão Edward Snowden. Depois disso, os dois mandatários já se manifestaram, nas conversas que tiveram, concordando com a necessidade de preparar a visita.

Fonte: Agência Brasil