Na ONU, Dilma pede regulação internacional da internet

Na ONU, Dilma pede regulação internacional da internet

Dilma Roussef (Foto: O Globo)
Dilma Roussef
(Foto: O Globo)

A presidente Dilma Roussef manteve o repúdio à espionagem americana em seu discurso à 68ª Assembleia-Geral da ONU, nesta terça-feira, em Nova York, e lançou luz sobre a necessidade de regulação internacional da internet.

Segundo ela, deve partir da ONU a iniciativa de “evitar que o espaço cibernético seja instrumentalizado como arma de guerra, por meio da espionagem, da sabotagem, dos ataques contra sistemas e infraestruturas de outros países”. A sugestão combate a coleta de dados da Agência Nacional de Segurança Americana (NSA) que, além de cidadãos comuns, monitorou Dilma e a Petrobras.

“Propostas para o estabelecimento de um marco civil multilateral” e o coneito de “neutralidade de rede” são as principais armas da presidente do Brasil para construir um novo ambiente digital que ofereça mais privacidade. Na visão dela, a adoção destas práticas deverá proteger a internet de interesses de natureza política, comercial ou religiosa.

Fonte: olhardigital.uol.com.br