Morre no Rio o autor Gilberto Braga, gigante da teledramaturgia do Brasil

Atores e amigos lamentam a morte do autor de novelas Gilberto Braga, nesta terça, no Rio

 

Gilberto Braga morreu nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, aos 75 anos, vítima de infecção generalizada. Um dos principais autores de novelas da Rede Globo, criou obras inesquecíveis, a exemplo de “Vale Tudo” e “Dancin’ Days” – líderes de audiência

 

Da Redação

A morte do novelista Gilberto Braga, nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, aos 75 anos – vítima de infecção generalizada –, deixa consternados, familiares, amigos e atores que trabalharam em suas obras inesquecíveis para a televisão brasileira, a exemplo de “Vale Tudo” e “Dancin’ Days”. Apontado como um “gigante da teledramaturgia”, o autor estava internado desde o dia 22 de outubro, no Hospital Copa Star, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, após perfuração no esôfago, provocando a infecção.

 

Assassinato de Odete Roitmam parou o Brasil – Foi Gilberto Braga quem criou uma das personagens mais emblemáticas das novelas, a poderosa empresária Odete Roitman (Beatriz Segall), em “Vale Tudo”, diretora da Companhia Aérea TCA. Odete acabou sendo assassinada nos capítulos finais, gerando um grande mistério na história – o Brasil parou para saber quem matou Odete Roitman.

E foram tantas outras obras relevantes – líderes de audiência –, que colocou o novelista no ranking dos principais autores da Globo. Na novela “Dancin’ Days”, que projetou Sônia Braga para o cenário internacional, Gilberto aborda sobre a rivalidade entre duas irmãs: a ex-presidiária Júlia Matos (Sônia Braga) e a socialite Yolanda Pratini (Joana Fomm). Lembrando que a trama foi exibida em vários países.

Ainda em destaque, obras para a televisão, incluindo, “Escrava Isaura”, “Louco Amor”, “Rainha da Sucata”, “Pátria Minha”, “Celebridade.”

Gilberto Braga nasceu no Rio de Janeiro, e começou a trabalhar dando aulas na Aliança Francesa. Foi crítico de teatro e cinema do jornal “O Globo”, e estreou na Globo como autor em 1972, com uma adaptação de “A Dama das Camélias”, de Alexandre Dumas, para um “Caso Especial”. A partir daí, teve uma carreira de sucesso na emissora, emocionando o Brasil com seus trabalhos.