Morre em São Paulo Al Sousa, pioneiro do jornalismo comunitário brasileiro nos EUA

Morre em São Paulo Al Sousa, pioneiro do jornalismo comunitário brasileiro nos EUA

unnamedFaleceu no dia 20 de julho, em São Paulo, o jornalista braso-americano Álvaro Raymundo de Sousa Neto, conhecido no meio jornalístico brasileiro nos EUA como Al Sousa. Sousa começou sua carreira jornalística na década de 1950 e trabalhou em jornais cariocas, como “Diário de Notícias”, “O Fluminense” e “Luta Democrática”, até mudar-se para os Estados Unidos em 1968, como correspondente do “Diário de Notícias” em Nova York.

Em 1969, fundou naquela cidade, junto com outros sócios, o “Brazil News”, considerado o primeiro jornal comunitário em português a circular regularmente nos Estados Unidos. O jornal fechou depois de menos de um ano, e Sousa foi trabalhar na Varig, depois que o “Diário de Notícias” também parou de circular no Brasil.

Permanceu afastado do jornalismo até 1977, quando mudou-se para Miami e passou a colaborar com jornais e revistas comunitários do sul da Flórida. Assinou por vários anos a coluna “Periscópio”, que apareceu pela última vez nas páginas do semanário AcheiUSA, de Deerfield Beach (FL), onde Al ocupava o cargo de Conselheiro Honorário. Sousa também colaborou esporadicamente para alguns jornais brasileiros depois de aposentar-se como Relações Públicas da Varig.

Em 2014, voltou para o Brasil com a mulher, Lucia Martinusso. Natural de Uberlândia (MG), Sousa tinha 84 anos.

Fonte: acheiUSA