Moradores lembram minutos pânico durante desabamento; 99 pessoas estão desaparecidas

Moradores contam que prédio tremeu segundos antes de desabar parcialmente, causando pânico

 

Segundos moradores, o prédio tremeu como num terremoto, antes de desabar parcialmente. Foram cenas apavorantes, e até a publicação desta matéria, 99 pessoas continuavam desaparecidas. A torre do condomínio de 12 andares desabou por volta das 2 da manhã desta quinta-feira

 

Da Redação

Os esforços de busca e resgate continuaram na tarde desta quinta-feira, em Surfside, onde uma torre de condomínio de 12 andares à beira-mar, “Champlain Towers South”, desabou parcialmente – 99 pessoas estão desaparecidas. A cidade de Surfside, que se estende do Oceano Atlântico a oeste até Biscayne Bay, em Miami Beach, ao sul das luxuosas lojas de Bal Harbour.

 

Cenário desolador – Em imagens e vídeos que foram compartilhados nas redes sociais na madrugada desta quinta-feira, mostram o devastador desabamento parcial do condomínio “Champlain Towers South”.

A torre do condomínio de 12 andares desabou por volta das 2 da manhã desta quinta-feira, deixando pelo menos 10 pessoas feridas e uma morta, disse o prefeito de Surfside, Charles Burkett – 99 estão desaparecidas.

Quase 70 dos 130 apartamentos do condomínio foram destruídos ou danificados, de acordo com Frank Rollason, diretor do Departamento de Gerenciamento de Emergências de Miami-Dade. Reações de terror foram sentidas em todo o país quando as imagens circularam online.

O condomínio, localizado na Avenida Collins 8777, completou 40 anos. O prédio foi concluído em 1981, o primeiro projeto a ser construído na área, depois que o condado de Miami-Dade impôs uma moratória às novas construções durante os anos 1970, disse Daniel Ciraldo, diretor do “Miami Design Preservation League.”

Surfside enfrentou dificuldades financeiras durante os anos 1970, disse Ciraldo, e seus sistemas de água e esgoto se deterioraram. O condado exigiu que a cidade melhorasse seus sistemas de água e esgoto antes de aprovar qualquer projeto.

A “Champlain Towers South Associates”, construtora do “Champlain Towers South”, pagou a Surfside $ 200.000 no final de 1979, metade do custo do novo sistema de esgoto. Com o novo sistema implantado, a construção do projeto não demorou a começar, lembrou Ciraldo.

Depois de concluído, compradores internacionais lotaram o prédio. “Muitas pessoas de outros países vieram para o sul da Flórida por causa da estabilidade política que tínhamos nos Estados Unidos”, disse ele. “Eles queriam viver na praia.”

As comodidades do prédio de 136 unidades incluíam piscina, academia, churrasqueira, quadras de tênis e estacionamento, “o que era um pouco mais novo”, disse Ciraldo, “em comparação com hotéis, onde você simplesmente passa um tempo.”

 

Processo de recertificação

Desespero e inconformismo – De acordo com o código de construção do condado de Miami-Dade, todos os edifícios residenciais devem passar por um processo de recertificação quando completarem 40 anos. O processo inclui inspeções para garantir que o prédio está habitável e seguro.

“O prédio estava em bom estado”, disse um corretor de imóveis do “Compass”, que tem várias propriedades para vender ou alugar no prédio e pediu anonimato. “Eles estavam começando os reparos para modernizá-lo.”

A associação contratou recentemente um engenheiro para elaborar as especificações das mudanças elétricas e estruturais necessárias para obter a recertificação, uma exigência de Miami-Dade, mas os trabalhos ainda não haviam começado.

Quase 70% das Torres “Champlain” foram ocupadas por proprietários de primeira e segunda residências. As unidades variavam de casas de dois quartos e 1.500 pés quadrados a casas de três quartos de 2.200 pés quadrados. Os preços variaram de $ 500.000 a $ 1,2 milhão. A unidade de cobertura 1012, disse um porta-voz da “Compass”, foi vendida por US $ 1,1 milhão em janeiro de 2020.

Ron Book, presidente do “Conselho do Homeless Trust” do condado, disse que a agência espera que a maioria dos residentes de “Champlain Towers” tenham os meios para encontrar moradia temporária ou ficar com a família ou amigos na área.

Apenas algumas pessoas de fora da cidade precisam de ajuda, disse ele, e a agência está trabalhando para encontrar acomodação. “Há algumas famílias que são turistas”, disse ele.