Maju Coutinho assume bancada do “Jornal Hoje”

Maju Coutinho assume bancada do “Jornal Hoje”

Carisma e linguagem explicativa à frente das previsões do tempo no “Jornal Nacional” Maju Coutinho ganhou a simpatia do público e agora assume a bancada do “Jornal Hoje”. À volta por cima da jornalista que superou preconceitos e alcança posto de destaque no jornalismo da Globo

Edição de setembro/2019 – p. 46

Maju Coutinho assume bancada do “Jornal Hoje”

Quando Maria Júlia Coutinho, a Maju Coutinho, surgiu para todo o Brasil como a “Moça da Previsão do Tempo” do “Jornal Nacional”, com um jeito descontraído de falar sobre as mudanças climáticas – chuva ou sol principalmente nos finais de semana – causou impacto. Um rosto novo que despontava e, o mais interessante, negra, elegante, rompendo com os padrões engessados da Globo, de ter apenas mocinhas “bonitinhas”, falando muito certinho de temperatura, sem causar tanto interesse. Evidente que as informações são soberanas, em quaisquer segmentos da notícia, mas, voltando a se referir à Maju, ela fez a diferença e mostrou que talento é uma conquista imediatista às vezes. Entretanto, surgiram comentários racistas no Facebook do JN, mas a jornalista rebateu com classe, afirmando que, “os preconceituosos ladram, mas a caravana passa”.

Com carisma e uma linguagem bem explicativa à frente das previsões do tempo no “Jornal Nacional”, Maju foi conquistando o público de casa. Além de suas brincadeiras com o âncora William Bonner, o estilo, incluindo penteados durante as participações no “JN”, costumam gerar comentários nas redes sociais. E quando William Waack foi afastado da apresentação do “Jornal da Globo”, telespectadores pediam que ela o substituísse.

Alvo de comentários racistas na página do Facebook do “Jornal Nacional, em 2015, Maju conta que foi um momento delicado. “Eu fechei a porta do quarto e chorei abraçada com o meu marido. Um choro por me sentir também acariciada por milhares de pessoas que se solidarizaram”, relata. “Muita gente imaginou que eu estaria chorando pelos corredores. Eu já lido com essa questão do preconceito desde que me entendo por gente. Fico muito indignada, mas não esmoreço, não perco o ânimo. A militância que faço é o meu trabalho, com carinho, dedicação e competência. Por anos, me submeti a um rito para ser aceita, esquentava no fogão um pente de metal e alisava o cabelo” disse. Hoje conta que diversas crianças negras têm interesse de ser como ela.

Na trajetória bem-sucedida de Maju Coutinho, ela recebeu prêmio no festival “Rio Sem Preconceito”, ocasião em que foi parabenizada pela também jornalista e apresentadora Glória Maria. “Felicidade. É um sonho se realizando ver a Maju brilhando no “Jornal Nacional”, disse Glória na época. “Linda. Talentosíssima. Carismática. Não é uma questão de cor e sim de competência. Orgulho de ver esta menina sendo premiada. Reconhecida. Nossos ancestrais estão em algum lugar aplaudindo. Comemorando. E nós também. Nossa força vem do amor, da alegria, do respeito, da ausência de qualquer preconceito. Amigas e parceiras sempre. Parabéns, Maju”, homenageou a repórter da Globo.

“Vocês são sensacionais. Nem se fossem azuis, amarelas ou lilás mudariam isso”, elogiou uma seguidora de Glória Maria, que foi uma das artistas a incentivar a campanha “Somos Todos Maju” nas redes após a garota do tempo ter sido vítima de preconceito racial nos perfis do “Jornal Nacional” na internet. “A Maju merece a bancada de um jornal”, defendeu outra internauta.

Bancada do “Jornal Hoje”

Mesmo causando certa ciumeira de bastidores, diga de passagem, Maju Coutinho assume o comando do “Jornal Hoje” – anteriormente comandado por Sandra Annenberg, que irá para o comando do “Globo Repórter” junto com Glória Maria. Um passo e tanto, galgado por Maju com seu carisma e simpatia. Em pensar que em 2017, ao estrear como plantonista, aos sábados, no “Jornal Hoje”, a internet rasgou elogios à jornalista.

“Maravilhosa. Você merece estar onde está, torci muito por você! Estamos bem representados”, escreveu um fã na época. Após passar por quatro meses de testes e até adiar a estreia por não se sentir segura em comandar o “JH”, a primeira vez de Maria Júlia na bancada foi elogiada também por William Bonner.

Casada com o publicitário Agostinho Paulo Moura, vive uma relação sólida, e diz que tem total confiança do marido. Para o esposo da jornalista, quando consultado sobre amor e ciúmes, ele disse o seguinte: “Não sinto ciúme dela”, garantiu. E relembrou o momento que passaram após William Bonner, companheiro de profissão de Maju e com quem a jornalista atuava no “JN”, anunciar o fim de seu casamento com Fátima Bernardes.

“Já imaginei que fossem apontar a Maju como pivô da separação do Bonner. Assim que eles anunciaram, nós conversamos sobre o assunto”, afirmou. E explicou que, mesmo levantando essa possibilidade, não se abalaram com as insinuações: “As pessoas imaginam demais. Não nos preocupamos com esse tipo de coisa. Não nos afeta”, desabafa o publicitário.