Mais de 10 milhões de americanos optaram pelo voto antecipado nas eleições presidenciais

O voto antecipado mobilizou mais de 10 milhões de americanos, superando as eleições de 2016

 

De acordo com dados compilados pelo “Projeto Eleições dos EUA”, a opção pelo voto antecipado e por correio em 2020 já é sete vezes maior que o registrado no mesmo período nas últimas eleições presidenciais, em 2016. O aumento da votação antecipada ocorre em meio à pandemia do coronavírus que motivou uma disparada, particularmente entre democratas

 

Da Redação

Mesmo contrariando os argumentos de Donald Trump quanto ao voto pelo correio nas eleições presidenciais deste ano, alegando ser uma “fraude”, os eleitores norte-americanos estão votando antecipadamente e já depositaram mais de 10 milhões de votos, superando a votação antecipada que ocorreu em 2016 e levando a crer em uma grande participação, de acordo com dados compilados pelo “Projeto Eleições dos EUA”. O aumento da votação antecipada ocorre em meio à pandemia do novo coronavírus que motivou uma disparada de votos antecipados presenciais e pelo correio, particularmente entre democratas.

Votos presenciais e pelo correio – Não é novidade que o presidente republicano tem procurado plantar desconfiança a respeito da votação pelo correio, fazendo alegações infundadas recorrentes sobre uma fraude generalizada antes de sua disputa com o candidato democrata Joe Biden. Segundo dados, até a noite de quinta-feira, quase 10,4 milhões de norte-americanos haviam votado em estados que relatam dados da votação antecipada, de acordo com a plataforma de informações eleitorais da Universidade da Flórida.

Para comparar, até 16 de outubro de 2016 cerca de 1,4 milhão de norte-americanos havia votado antecipadamente. O número deste ano é cerca de sete vezes maior que o registrado nas últimas eleições que deram a vitória a Trump. O número de votos depositados em cinco estados – Minnesota, Dakota, do Sul, Vermont, Virgínia e Wisconsin-, já superou em 20% o comparecimento total de 2016, aponta o “Projeto Eleições”.

De acordo com a contagem, o número atual de votos antecipados para o escrutínio que opõe a Trump ao democrata Joe Biden, em 3 de novembro, é muito superior ao das eleições de 2016, com muitos eleitores a recorrerem ao voto por correspondência, em plena pandemia de Covid-19.

O fundador do “Centro para a Inovação e Investigação de Eleições” (CEIR) dos EUA, David Becker, estimou que as eleições deste ano vão ter uma participação recorde por correio nos 50 estados do país. “Em todos os estados haverá números recorde de votos por correio”, afirmou David Becker, numa conferência de imprensa realizada em 6 de outubro.

Os estados que em 2016 contaram com menos de 10% de votos por correspondência poderão este ano ter entre 25 a 45% de eleitores a votar desta forma, antecipou o diretor executivo e fundador do CEIR.

Becker previu igualmente que o número de votos antecipados poderá continuar a crescer em “um milhão por dia, até chegar a dois milhões por dia, cada vez mais perto das eleições”, sendo de esperar que mais de 50% dos boletins sejam entregues antes do dia da eleição.