Livro de George W. Bush fala em “humanizar” debate sobre imigração

Livro de George W. Bush é lançado nos EUA e sugere uma política de imigração “humanizada”

 

“Out of Many, One: Portraits of America’s Immigrants”, é o título do novo livro do ex-presidente George W. Bush, lançado nesta terça-feira nos EUA, que propõe uma política de imigração mais “humana”.  Ele fala dos “Dreamers” e de um fortalecimento da fronteira com o México – um “sistema modernizado”  

 

Da Redação

O novo livro do ex-presidente George W. Bush, lançado nesta terça-feira nos EUA, “Out of Many, One: Portraits of America’s Immigrants”, fala sobre imigração – alternativas preponderantes. E tudo ocorre exatamente no momento em que o presidente democrata Joe Biden, que prometeu uma política de imigração mais “humana”, após os anos de governo de Donald Trump, lida com o maior aumento nas chegadas de imigrantes em 15 anos.

 

Livro defende sistema de regularização – Bush desencadeia acalorado debate sobre a imigração ao afirmar nas páginas do jornal “Washington Post” que os “novos americanos” desempenham um “papel positivo”, e defende um sistema de regularização progressiva para imigrantes sem documentos.

No livro, o ex-presidente fala do México, país que divide fronteira com os EUA, e do contingente de indocumentados que busca alternativas de entrada. Ele compartilha notáveis histórias de imigrantes, e diz que espera “humanizar o debate sobre a imigração e a reforma” do sistema.

“Os novos americanos hoje desempenham o mesmo papel positivo, com sua energia, seu idealismo e seu amor pelo país, que sempre tiveram”, escreve ele.

E mesmo sem uma proposta detalhada sobre imigração, o republicano cita vários princípios: um caminho de cidadania para quem chegou aos EUA ainda criança, os chamados “Dreamers”; um fortalecimento da fronteira com o México; um “sistema modernizado” de recepção dos requerentes de asilo; e um aumento da imigração legal para permitir que “pessoas talentosas tragam suas ideias e suas esperanças”.

Em relação aos milhões de imigrantes sem documentos que já vivem no país, Bush acredita que uma anistia geral seria “profundamente injusta” para aqueles que tentam chegar legalmente, mas acrescenta que “um processo progressivo deve ser aberto” para obter uma autorização de residência e depois cidadania.

Assim, os imigrantes indocumentados deveriam pagar uma multa e seus impostos atrasados, fornecer prova de seus anos de trabalho nos EUA e um bom conhecimento da língua inglesa e da história americana, além de não ter antecedentes criminais.

 

Cerimônia de naturalização

O ex-presidente George W. Bush, inclusive, participou nesta terça, 20 de abril , da cerimônia de naturalização de 30 candidatos à cidadania dos EUA, de 17 países – NewUSCitizens –, realizada em Nova York, pela USCIS,  no programa matianal @TodayShow. O evento foi transmitido ao vivo.  Muitos desses candidatos são trabalhadores de linha de frente, médicos e enfermeiros que apoiaram a comunidade durante o momento crítico no combate à Covid-19.