Legado de Deborah Secco em novelas da Globo

Legado de Deborah Secco em novelas da Globo

Deborah Secco interpreta a maquiavélica Karola, em “Segundo Sol”, da Globo, mostrando a sua maturidade enquanto atriz. Em entrevista descontraída a atriz fala da filha, Maria Flor, e do marido, o ator Hugo Moura

Edição de julho/2018 – p. 47

Legado de Deborah Secco em novelas da Globo

Ela está fazendo acontecer em “Segundo Sol”, novela da Globo que mostra vilãs de primeira linha. A atriz Deborah Secco, que interpreta a maquiavélica Karola, mostrou a que veio e atua com maturidade e brilhantismo na trama assinada pelo autor João Emanuel Carneiro. E apesar das maldades da personagem, Deborah é complacente e torce para que a moça melhore ao longo dos capítulos, o que parece ser meramente impossível, pelo menos por enquanto. “Eu torço para ela ter um final leve, porque ela é um personagem leve. Eu acho que ela é o tipo de vilã que nós amamos odiar, mas sei que mereceu um castigo. Roubou uma criança”, explica.

Na vida pessoal, longe das câmeras, Deborah Secco adora ficar ao lado da filha, Maria Flor, de dois anos, de levá-la para passear aos domingos, quando está de folga das gravações da novela. A atriz também revela que tem sessões com uma terapeuta que conheceu recentemente, após 14 anos frequentando consultórios com outros profissionais. “Faz um ano que encontrei essa terapeuta que mudou a minha vida. Antes dela, tinha feito terapia durante 14 anos com a mesma pessoa. Mas ela faleceu e fiquei órfã. Para mim é muito importante. Todo mundo devia fazer”, argumenta.

Quanto a sua personagem em “Segundo Sol”, Karola, uma baiana arretada, Déborah diz que se inspirou na sogra para compor a vilã, incluindo o sotaque baiano. “Faço o sotaque da minha sogra (Márcia Moura Sant’anna), exatamente igual, sem tirar nem pôr. Me inspirei totalmente nela. A gente precisa de referência para compor uma personagem. É o que eu tenho feito ao longo de minha carreira, o que auxilia na veracidade dos tipos, que vêm do povo, das pessoas no dia a dia, afinal, a novela é exatamente isso”, conta a atriz.

Comentando sobre a experiência de trabalhar com o marido da vida real, o ator Hugo Moura, na novela Segundo Sol, a atriz foi enfática: “O Hugo é um cara que batalha muito e, desde que decidiu largar engenharia para ser ator, estuda e se foca muito. Ele é muito determinado e deseja verdadeiramente ser artista, e não famoso. Está cheio de chance de postar coisas na rede social da nossa vida e da nossa família e não faz porque não quer essa escada rápida”, relata.

“O Hugo gosta da arte, isso é muito visível nele. Admiro muito ele e queria que as pessoas enxergassem tudo isso nele. Fico muito feliz de tê-lo comigo em ‘Segundo Sol’, de vê-lo dando esse primeiro passo e começando uma história artística”, complementa Deborah.

E quanto à diferença de idade do casal – Deborah Secco é mais velha – disse à atriz que isso não a preocupa. “Para mim, o Hugo é bem mais velho do que eu. De idade não porque sou mais velha que ele 12 anos. Mas de maturidade com certeza! Ele me dá um baile. Ele é um cara que é pai, que comprou esse barulho da família, que é o meu marido, o chefe da família, o dono da casa, que divide comigo as decisões e as responsabilidades igualmente. O Hugo é um cara muito diferenciado. Nunca imaginei que pudesse existir um homem de 27 anos como ele”, elogia.

Vaidade e carreira da atriz

Indagada sobre vaidade, a atriz não hesitou na resposta: “Já coloquei próteses de silicone nos seios e fiz uma lipoaspiração quando tinha 18 anos, depois de ‘Laços de Família’, em 2000. Fiz a lipo por idiotice. Aproveitei que ia botar peito e fiz. Coisa de criança. Mas hoje faço tudo o que posso de estética: botox, preenchimento. Porque vou fazer 40 anos que vem. Tem que se cuidar! Hoje em dia só não sente o peso dos 40 quem se cuida desde os 20. Tem que começar lá atrás. Não adianta começar com 40. Vamos ver como vai ser comigo”, avisa.

Aos oito anos de idade estreou na TV fazendo publicidade. Com 10 anos, encenou seu primeiro espetáculo, “Brincando de Era uma Vez”; e, aos 11 anos, atuou em sua primeira novela, “Mico Preto” da Rede Globo. Secco fez a sua primeira novela do horário nobre da Globo em “A Próxima Vítima”. Em 1996 encarnou a Bárbara da novela “Vira Lata”, que durante boa parte da trama faz-se passar por menino, atendendo pelo nome de Tatu. Posteriormente, despontou na novela “Zazá”, como Dora, neta da protagonista vivida por Fernanda Montenegro, e, em 1998, atuou em sua primeira novela das seis, “Era Uma Vez”, como Emília, garota travessa que mora no interior.

Na trama ambientada na Bahia, “Segundo Sol”, sua personagem é uma prostituta bissexual explorada por sua cafetina, vivida por Adriana Esteves, com quem possui um caso há anos. Ao mesmo tempo, sua personagem é apaixonada e até obcecada pelo protagonista, Beto (Emilio Dantas), e fará de tudo para separar o rapaz do seu grande amor, Luzia (Giovanna Antonelli). O folhetim, de autoria de João Emanuel Carneiro, estreou no primeiro semestre de 2018 substituindo “O Outro Lado do Paraíso”.