Lais Souza continua processo de recuperação nos Estados Unidos

Lais Souza continua processo de recuperação nos Estados Unidos

Quatro meses após acidente, COB e Confederação Brasileira de Desportos na Neve seguem apoiando tratamento da atleta

Foto: Jackson Memorial Hospital/Divulgação
Foto: Jackson Memorial Hospital/Divulgação

Passados quatro meses do acidente que Lais Souza sofreu enquanto praticava esqui em Park City, Utah, nos Estados Unidos, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) seguem apoiando seu processo de recuperação no Jackson Memorial Hospital, da Universidade de Miami.

Nesta quarta-feira (28), representantes do COB e da CBDN participarão de audiência pública na Comissão do Esporte da Câmara, em Brasília, onde exporão tudo o que vem sendo feito por Lais Souza, desde o momento do acidente, em 27 de janeiro passado, no qual a atleta sofreu grave lesão na coluna cervical.

Nesses quatro meses, passada a fase mais crítica do tratamento, Lais segue uma rotina de fisioterapia intensiva em Miami, e, aos poucos, vai conquistando progressos em sua recuperação, enquanto aguarda ser submetida a novos procedimentos médicos.

“Vitórias importantes ocorreram nesses quatro meses, como a capacidade de respirar sem auxílio de ventilação mecânica, de se alimentar pela boca, falar, se adaptar ao uso de cadeira de rodas motorizada, além da possibilidade de reintegração à sociedade,  como ida a restaurantes, eventos esportivos, andar de metrô e carro. Ela conta com o carinho da família, de toda a equipe médica e de saúde, da fisioterapia, além dos amigos do esporte, do COB e da CBDN”, afirma o Dr. Antonio Marttos Junior, médico do Time Brasil e membro do corpo médico da Universidade de Miami.

Para o médico, que acompanha Lais desde o dia seguinte após o acidente, a atleta tem acesso ao que de mais moderno existe na medicina para o tratamento de lesões medulares. “Desde o primeiro momento em que foi identificada a gravidade da lesão, deu-se início a um planejamento que contou com equipes médicas, de fisioterapia, terapia ocupacional e psicologia. Ela está sendo tratada com base nos maiores avanços científicos e de protocolos nessa área. O suporte que Lais está recebendo não tem precedentes”, explica.

Apoio e campanha
O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação Brasileira de Desportos na Neve explicarão aos parlamentares que, desde o momento em que foi atendida na emergência do Hospital da Universidade de Utah até hoje, o tratamento hospitalar de Lais Souza vem sendo custeado pelas seguradoras das entidades.

Além da garantia do tratamento, Lais Souza conta com o apoio de uma campanha de doações criada para ajudá-la a se autofinanciar no futuro, totalizando até o momento mais de R$ 300 mil. Dentre os itens obtidos pela campanha, foram doados à Lais uma cadeira de rodas especial elétrica; aparelho de comunicação sem digitação – tablet; cama especial e acessórios; e depósitos em dinheiro na conta corrente de Lais.

“A Lais tem uma bonita história nos Jogos Olímpicos, tendo participado de Atenas 2004 e Pequim 2008, além de toda a preparação para Londres 2012. Desde o primeiro momento que o COB foi acionado, logo após o acidente, nossa preocupação tem sido proporcionar as melhores condições possíveis para ela e seus familiares. E assim seguiremos, com a ajuda de parceiros, amigos e patrocinadores que têm nos apoiado nessa caminhada. Continuamos torcendo e trabalhando muito para que essa guerreira continue se recuperando e tendo suas conquistas diárias”, afirma o diretor executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, lembrando ainda o importante apoio que o Consulado do Brasil em Miami tem prestado no atendimento à Lais.

Ainda como fruto da campanha de mobilização que tomou conta do País, com a participação e o engajamento de atletas, artistas e personalidades, Lais recebe da Universidade Estácio apoio financeiro de R$ 4 mil mensais e uma bolsa de estudos. Nos Estados Unidos, tem aulas diárias de inglês ministradas pela Education First. A estrutura logística em Miami, (inclui passagens aéreas para familiares da atleta e hospedagem e alimentação para a mãe de Lais, Odete Souza, e a fisioterapeuta Denise Lessio), na qual já foram investidos cerca de R$ 200 mil, está sob a responsabilidade do COB.

Lais Souza também recebe ajuda de custo da CBDN no valor de R$ 5 mil mensais, oriunda dos recursos da Lei Agnelo/Piva repassados à entidade.

“Estamos todos mobilizados, trabalhando para proporcionar o melhor tratamento que a medicina de ponta pode oferecer à Lais, assim como no seu conforto e mobilidade para o período pós-hospitalar e na capacitação para uma futura autonomia e independência financeira”, destaca o presidente da CBDN, Stefano Arnhold.

Fonte: Comitê Olímpico Brasileiro