Justiça dos EUA usa anúncios em jornais para achar americano na PB

Justiça dos EUA usa anúncios em jornais para achar americano na PB

Norte-americano mora em João Pessoa com a filha desde 2012.
Segundo nota, mudança inviabiliza encontros de avó materna com a neta.

A Justiça do Condado de Anne Arundel, em Maryland, nos Estados Unidos, usou anúncios em jornais da Paraíba nesta semana para localizar o norte-americano Russell Carlton. De acordo com a nota, ele tem até o dia 15 de março para explicar sua estadia no Brasil.

Carlton vive no Brasil com a filha, que também é norte-americana, há 9 meses. Ele disse que a Justiça dos Estados Unidos concedeu à avó materna da sua filha o direito de ver e visitar a neta em dias e horários pré-determinados, mas a mudança dele e da filha para João Pessoa limitaram o contato da menina com a avó, Lenna Gordon. A ex-sogra de Carlton então procurou a Justiça norte-americana.

A petição é assinada pela ex-sogra de Russell e informa que, caso não haja resposta, poderá ser pedida a prisão do americano. A nota, publicada em inglês e português nos jornais paraibanos, ainda diz que Russel deixou de obedecer uma determinação judicial datada de 24 de abril de 2012, e que ele deve apresentar justificativa para a desobediência

Russell procurou a imprensa para explicar o que estava acontecendo. Segundo ele, a nota veiculada na imprensa também havia sido enviada a ele por e-mail e a notificação recebida por ele seria maior do que a versão divulgada na imprensa.

“O que saiu no jornal é uma parte do documento, eu não sei por que eles não imprimiram tudo, mas na segunda parte basicamente diz que eu tenho o direito de responder até 15 de março. Após essa data eu perco o direito de responder por escrito e teria que me apresentar ao juiz. Mas até lá eu tenho a oportunidade de responder por escrito. Mas nunca ouvi falar em alguém que tivesse sido preso por desrespeitar o dia de visita da avó”, disse.

Antes de se mudar para João Pessoa, Russell e sua filha moraram um mês no município de Patos, no Sertão Paraibano, ele enumerou diversas razões porque escolheu o Brasil para morar, e disse que uma delas é o medo de que sua ex-esposa possa fazer alguma coisa contra ele ou sua filha. De acordo com ele, a ex-mulher é foragida da Justiça dos EUA e já tentou sequestrar a filha antes.

O americano disse que não pretende deixar o Brasil e que seus advogados cuidarão da questão judicial em Maryland. “É extremamente incomum, na minha experiência, que alguém tenha sido preso por desrespeito a uma visitação dos avós. Vou deixar a decisão para os advogados que vão me representar. Eu falei com eles sobre isso e eles vão tomar essa decisão. Por vezes eles me disseram que é melhor não responder para não dar informações a elas”, concluiu.

Fonte: g1.globo.com