Importância de Biden para os imigrantes; diretrizes da imigração e sistema de saúde

 Joe Biden aparece como a melhor opção para os imigrantes na hora do voto

 

Se eleito, Joe Biden determinará diretrizes fundamentais na imigração que beneficiará indocumentados, eliminando a pressão à imigração ilegal.  Ampliação do DACA, reconhecendo os direitos dos chamados “Dreamers”,  e a expansão do Obamacare

 

Da Redação

Qual a importância da vitória de Joe Biden para os imigrantes? A corrida da eleição presidencial dos EUA alcança a linha de chegada – dia 3 de novembro –, numa disputa acirrada entre o democrata Joe Biden, e o republicano Donald Trump. É essencial lembrar aos eleitores brasileiros – os cidadãos com direito a voto –, que apostar em Biden significa uma virada política de extrema valia, beneficiando indocumentados que padecem na fila de espera pela legalização. Vale resgatar aqui as palavras do candidato democrata, que se declarou a favor do direito de Cidadania a 11 milhões de imigrantes indocumentados e vai acabar com todas as políticas de fronteira impostas pelo presidente Trump. Outro ponto fundamental é a ampliação do DACA, beneficiando os chamados “Dreamers”.  Na saúde, a expansão do Obamacare.

Biden quer apagar rastros de Trump – O ex vice disse que, eleito presidente, irá expandir os locais chamados “santuários para imigrantes”, limitar a capacidade do “Departamento de Imigração e Alfândega” (ICE) de deportar criminosos que estão em prisões locais e reverter as deportações de alguns veteranos militares já demitidos por causa de registros criminais. Pontos estratégicos que mostram novos caminhos e traz esperança. O projeto, desenvolvido pelos apoiadores de Biden, limparia todas as principais políticas de imigração dos últimos três anos e meio, substituindo-as por “tópicos mais suaves” e eliminando a pressão à imigração ilegal.

Outro tópico do programa pede uma parada imediata de 100 dias em todas as deportações e pretende desencadear um exército de supervisores para policiar a maneira como os agentes da Patrulha de Fronteira e os oficiais de deportação do ICE aplicam a política de imigração. O plano aponta para o “racismo sistêmico”, que infectou o sistema de imigração dos EUA, incluindo as políticas adotadas nas fronteiras e portos de entrada, centros de detenção e dentro das agências, políticas e operações de imigração. Biden ganhou apoiadores ao divulgar planos para a questão imigratória a serem postos em prática. Programa DACA

O programa DACA, que protege da deportação os imigrantes que chegaram ainda crianças aos EUA, será restituído e ampliado. Serão consideradas também “todas as opções legais” para proteger os pais dos chamados “Dreamers”, como são chamados os beneficiados pelo DACA. Biden falou em ressuscitar o DAPA, programa de proteção aos pais imigrantes de cidadãos americanos derrubado por uma ação judicial impetrada por uma coalizão de governadores Republicanos.

Expansão do Obamacare

Diante de uma pandemia que já vitimou 223 mil pessoas nos EUA, o tema “As famílias americanas e a economia” do último debate das eleições de 2020 no país foi dominado pelas discussões sobre o futuro do atendimento da saúde. Mais precisamente, o Affordable Care Act (ACA), popularmente conhecido por Obamacare – implementado no governo do ex-presidente Barack Obama.

Biden diz que vai expandir o escopo do Obamacare, aprovado durante sua gestão como vice-presidente e que Trump tentou revogar. Seu plano é fazer com que cerca de 97% dos americanos tenham cobertura de saúde. Ele também promete reduzir a idade de elegibilidade do Medicare de 65 para 60 anos. O Comitê para um Orçamento Federal Responsável, uma entidade apartidária, estima que o plano total de Biden custaria US$ 2,25 trilhões em dez anos.