Identificadas 2 vítimas dos atentados de 11 de setembro, às vésperas de completar 20 anos  

Mais duas vítimas dos ataques ao World Trade Center foram identificadas em Nova York

 

Às vésperas de completar 20 anos dos ataques terroristas de 11 de setembro no World Trade Center, autoridades de Nova York afirmaram que mais duas vítimas foram identificadas: Dorothy Morgan, 47, trabalhava para uma seguradora em uma das torres; e um homem que não teve nome divulgado a pedido da família  

 

Da Redação 

E lá se vão 20 anos da maior tragédia que abalou os EUA, os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, que surpreenderam o mundo. O mais marcante, transmitido praticamente em tempo real, ocorreu nas torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, atingidas por aviões. No total, 2.753 pessoas morreram em Nova York em decorrência daqueles atentados. Também foi atingindo o Pentágono, em Washington, e um avião, comandado por terroristas, foi abatido na Pensilvânia. E poucos dias antes de completar duas décadas, autoridades de Nova York afirmaram que mais duas vítimas foram identificadas.

Ainda em 2001 o então presidente dos EUA, George Bush, ordenou o ataque ao Afeganistão, país que abrigava a Al Qaeda, responsável pelos ataques. Osama Bin Laden seria morto por forças americanas quase dez anos depois, em maio de 2011.

Poucos dias antes de completar 20 anos dos ataques terroristas de 11 de setembro, autoridades de Nova York afirmaram que mais duas vítimas foram identificadas. A informação foi confirmada na terça-feira (7) pela legista-chefe da cidade, Dra. Barbara A. Sampson.

As vítimas, Dorothy Morgan, de Hempstead, do estado de Nova York, e um homem que não teve nome divulgado a pedido de sua família foram a 1.646ª e 1.647ª vítimas reconhecidas dos ataques ao World Trade Center.

As vítimas foram identificadas através de análise de DNA de restos mortais que não foram detectados anteriormente. Os materiais genéticos foram recuperados do local do World Trade Center.

Segundo o centro legista, os restos mortais de mais de 1.100 vítimas — cerca de 40% das que morreram lá — ainda não foram identificados. Estas foram as primeiras identificações de vítimas do World Trade Center desde outubro de 2019.

No total, o ataque matou 2.753 pessoas e mais de 220 outros foram mortos em Washington, DC, e fora de Shanksville, na Pensilvânia. “Vinte anos atrás, fizemos uma promessa às famílias das vítimas do World Trade Center de fazer o que fosse necessário pelo tempo que fosse necessário para identificar seus entes queridos e, com essas duas novas identificações, continuamos a cumprir essa obrigação sagrada”, afirmou a legista-chefe da cidade Dra. Barbara A. Sampson.

O uso recente da tecnologia de sequenciamento de próxima geração — mais sensível do que as técnicas anteriores — ajudou nas identificações e “promete resultar em mais”, disseram as autoridades em um comunicado à imprensa.

 

Quem é Dorothy Morgan

Dorothy Morgan, 47, trabalhava para uma seguradora em uma das torres. Sua filha, Nykiah Morgan, falou com a mãe ao telefone pela última vez naquela manhã. Porém, cerca de 10 minutos depois, Nykiah Morgan só encontrou o celular da mãe ocupado quando ela tentou ligar de volta, disse.

Nykiah realizou um culto de celebração para sua mãe meses após os ataques e sabia que ela havia partido, mas não chamou isso de funeral porque ela não tinha a confirmação final. “Não esperava isso depois de todo esse tempo”, disse sobre a identificação.

A identidade de Dorothy Morgan foi confirmada por testes de DNA de restos mortais recuperados em 2001. Já a identificação do homem foi confirmada através de materiais genéticos recuperados em 2001, 2002 e 2006, disse o centro de legista.