Hackers roubam 2,3 milhões de dólares da campanha de Trump. FBI é acionado.

Republicanos ficam furiosos com o roubo de 2,3 milhões de dólares do partido e acionam FBI

 

O presidente do Partido Republicano, Andrew Hitt, disse à imprensa que o FBI foi acionado nesta sexta-feira, após hackers roubarem 2,3 milhões de dólares das contas do partido, na reta final de campanha, quando Trump joga as últimas cartadas para ganhar Wisconsin, onde Joe Biden já é o favorito

 

Da Redação

De acordo com denúncias do Partido Republicano do Wisconsin,  hackers conseguiram roubar 2,3 milhões de dólares da conta do partido que era usada para a campanha que visa a reeleição de Donald Trump como presidente dos EUA. Segundo relato do presidente do Partido Republicano, Andrew Hitt , em 22 de outubro foram detectadas atividades suspeitas e, perante a situação, o FBI foi acionado nesta sexta-feira. Hitt disse que as investigações estão em andamento na tentativa de saber o paradeiro dos 2,3 milhões de dólares.

Em explicações à imprensa Andrew Hitt  alega que o ataque informático foi descoberto quando faltam poucos dias da eleição, em etapa crucial quando Trump como o rival democrata Joe Biden jogam as últimas cartadas para ganhar Wisconsin e os seus 10 votos eleitorais.

Trump ganhou o estado por menos de 23.000 votos em 2016 e planejou a terceira visita nesta sexta-feira. Biden também pretende fazer mais campanha no Wisconsin nesta sexta. As sondagens têm mostrado consistentemente uma forte disputa no estado, geralmente com Biden à frente.

Andrew Hitt disse não ter conhecimento de nenhum outro partido republicano estadual que tenha sido alvo de um ataque semelhante, mas os partidos estaduais foram alertados na Convenção Nacional Republicana neste verão para estarem atentos a ataques cibernéticos. “Estamos em contato com o partido estadual, a auxiliar nesse processo”, disse o porta-voz do Comitê Nacional Republicano, Michael Ahrens.

 

Neste caso do Wisconsin, os hackers manipularam faturas de quatro fornecedores que estavam sendo processadas, manipulando os destinatários do dinheiro. O esquema foi descoberto quando alguém percebeu que tinha sido gerada uma fatura que não deveria existir, disse o responsável do partido no estado.

O ataque informático expôs novas tensões nos dias finais da corrida entre a campanha de Trump e o partido estadual, que gastou demasiado dinheiro e não contabilizou adequadamente os gastos em 2018, levando a mexidas na liderança do partido.

Os republicanos da campanha de Trump souberam do ataques e ficaram furiosos com os oficiais do estado por não os informarem sobre que impacto que isso poderia ter nas operações, de acordo com um oficial da campanha de Trump que pediu anonimato. Andrew Hitt diz que terá impacto significativo na campanha.

Já houve mais de 800 tentativas de ataques para lucro financeiro visando o Partido Democrata de Wisconsin neste ciclo de campanha, mas nenhuma teve sucesso, disse a porta-voz do partido Courtney Beyer.