Habilidade em matemática e leitura é favorecida por mesmos genes

Habilidade em matemática e leitura é favorecida por mesmos genes

Pesquisa envolveu leitura do DNA de crianças e testes cognitivos. Família e escola também são importantes para aprendizado, diz estudo.

Mesmo grupo de genes que favorecem habilidades em matemática também contribuem com leitura (Foto: AJ Photo/BSIP)
Mesmo grupo de genes que favorecem habilidades em matemática também contribuem com leitura (Foto: AJ Photo/BSIP)

A habilidade para matemática e para leitura é favorecida em boa medida pelos mesmos genes, segundo um estudo publicado nesta terça-feira (8) na revista “Nature Communications”, que ressalta, no entanto, a importância do meio para desenvolver esses conhecimentos.

Cientistas do King’s College de Londres, liderados por Robert Plomin, utilizaram dados do chamado Estudo do Desenvolvimento Precoce dos Gêmeos (TEDS, em sua sigla em inglês) para ver a influência dos genes nas habilidades de leitura e cálculo de adolescentes de 12 anos de 2.800 famílias britânicas.

A equipe acompanhou gêmeos, com genes compartilhados, e outras crianças, com quem fizeram testes leitura e matemática, conforme as exigências do sistema escolar britânico.

A combinação dos resultados desses testes e dos dados de DNA indicou que há uma “sobreposição significativa” dos genes que determinam a habilidade para a leitura e para os números.

Aproximadamente metade dos genes que influenciam a habilidade de leitura da criança incide também em sua capacidade para as contas, de acordo com o estudo. No entanto, os pesquisadores ressaltam que o entorno familiar e a educação escolar são estratégicas para o desenvolvimento dos pequenos.

“As crianças diferem geneticamente em relação à facilidade aprender e devemos reconhecer e respeitar estas diferenças individuais”, afirma Plomin.

Segundo o cientista, “descobrir que há uma forte influência genética não significa que não se possa fazer nada quando uma criança custa a aprender: o fato de ser hereditário não implica que seja imutável, apenas significa que será preciso um esforço maior dos pais e das escolas para apoiar esse aluno”.

A pesquisa não identifica genes específicos que determinem essas habilidades, mas estabelece conjuntos de genes ou de diferenças genéticas que, individualmente, contribuem em pequena medida para moldar à pessoa.

Fonte: g1.globo.com (EFE)