Gota

voltar

MAR/12 – pág. 45

Gota é uma doença caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue, o que leva a um depósito de cristais de monourato de sódio nas articulações. É esse depósito que gera surtos de artrite aguda secundária.

A concentração normal de ácido úrico no sangue é até 7,0 mg/100 ml.  É importante saber que nem todas as pessoas que estiverem com a taxa elevada de ácido úrico (hiperuricemia) serão portadoras de gota (somente 20% dos hiperuricêmicos desenvolverão a doença). A maioria dos portadores de gota é composta por homens adultos, nas mulheres a crise de gota ocorre após a menopausa. Pode haver diagnóstico de gota em homem e mulher jovem, mas certamente são situações raras.

É importante detectar quem tem ácido úrico elevado, pois, muitas vezes, esses indivíduos têm pressão alta, são diabéticos e têm aumento de gordura no sangue com aterosclerose e a descoberta da hiperuricemia faz com que indiretamente sejam diagnosticados os problemas sérios que já existiam.

Causas:

ausência congênita de um mecanismo enzimático responsável pela excreção do ácido úrico pelos rins. Sem a eliminação adequada, há um aumento da concentração desse ácido no sangue;

produção excessiva de ácido úrico pelo organismo devido a um “defeito” enzimático. Neste caso, a pessoa produz uma grande quantidade de ácido úrico e os rins não conseguem eliminá-la (causa menos comum);

alguns medicamentos, como diuréticos e ácido acetilsalicílico, podem levar à diminuição da excreção renal do ácido úrico.

Sintomas:

Na maioria das vezes, o primeiro sintoma é um inchaço do dedo grande do pé, acompanhado de dor forte. A primeira crise pode durar de 3 a 10 dias e, após este período, o paciente volta a levar uma vida normal, o que geralmente faz com que ele não procure ajuda médica imediata. Uma nova crise pode surgir em meses ou anos e comprometer a mesma ou outras articulações. Geralmente, as crises de artrite aparecem nos membros inferiores, mas pode haver comprometimento de qualquer articulação.

Sem tratamento, o intervalo entre as crises tende a diminuir e a intensidade a aumentar. O paciente que não se trata pode ter suas articulações deformadas e ainda apresentar depósitos de cristais de monourato de sódio em cartilagens, tendões e articulações.

Diagnóstico:

Só é possível fazer o diagnóstico de gota na primeira crise se forem encontrados cristais de ácido úrico no líquido aspirado da articulação. Caso contrário, não é possível definir o diagnóstico antes de descartar outras causas possíveis. Se a taxa de ácido úrico estiver normal durante a crise, mas mesmo assim houver suspeita do desenvolvimento da doença, o médico deverá indicar uma nova dosagem dentro de 2 semanas.

Um exame de raio-X pode ajudar a definir o quadro.

Tratamento:

Não há cura definitiva para a gota, já que a maioria dos casos acontece devido a falhas na eliminação ou na produção do ácido úrico. Como ambas as causas são genéticas, o tratamento não é definitivo. Geralmente são indicados dieta e medicamentos para diminuir a taxa de ácido úrico no sangue e, consequentemente, evitar as crises de gota.

Dicas importantes:

  • a dieta para pessoa com gota deve ser moderada em proteínas, rica em carboidratos e relativamente pobre em gordura e deve incluir alimentos com baixos teores de purina (miúdos, peixes pequenos, frutos do mar e certos grãos como feijão, grão de bico, ervilha, lentilha e grãos integrais);
  • o consumo de gorduras deve ser reduzido, pois o excesso diminui a excreção de ácido úrico;
  • evite o consumo de bebidas alcoólicas. O álcool precipita o ácido úrico, facilitando a formação de cristais;
  • líquidos, como água e sucos, devem ser ingeridos à vontade (mais de três litros por dia), o suficiente para que a urina esteja sempre clara. Isso facilita a excreção de ácido úrico e minimiza a possível formação de cálculos;
  • exercícios físicos são sempre necessários, mesmo que em pouca quantidade, pois, não raro, há excesso de peso e vida sedentária entre as pessoas com gota. E a redução de peso é sempre útil e ajuda a reduzir a hipertrigliceridemia que existe em 75% dos pacientes com gota;
  • não fique longos períodos sem se alimentar. Isso porque, em jejum, o corpo acaba degradando a proteína muscular como fonte de energia, gerando ureia como um dos seus subprodutos;
  • para finalizar, é preciso ter em mente que a gota é uma doença crônica e grave, capaz de provocar muita dor e desconforto se não for tratada com seriedade pelo doente.  Não abandone o tratamento, porque o nível de ácido úrico sobe novamente, levando a deformidades das articulações.
Elaine Peleje Vac
elaine@nossagente.net
(Médica no Brasil)
Não tome nenhum medicamento sem prescrição médica.
Consulte sempre o seu médico.