Furacão com ventos de até 195 km/h pode atingir EUA na próxima semana

Furacão com ventos de até 195 km/h pode atingir EUA na próxima semana

Furacão Joaquim pode ser tão devastador quanto Sandy, que atingiu Nova York em 2012

Foto: Divulgação/NOAA via Reuters
Foto: Divulgação/NOAA via Reuters

Uma foto divulgada pela agência de notícias Reuters mostra um furacão de categoria 3, que possui ventos de até 195 km/h, indo em direção aos Estados Unidos. Na imagem, o furacão Joaquim está localizado no oceano Atlântico, perto das Bahamas.

De acordo com relatório do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), o fenômeno deve atingir a área metropolitana de Nova York na terça-feira (06/10), na forma de uma tempestade tropical.

Os meteorologistas acreditam que Joaquim deve seguir o caminho devastador do furacão Sandy, que atingiu cinco países em 2012, incluindo alguns estados da costa leste dos Estados Unidos, e deixou 285 pessoas mortas.

A tempestade deve ganhar força e passar para a Categoria 4, com ventos chegando a 225 km/h, na sexta-feira (09/10), seguindo para a costa leste norte-americana. Segundo o NHC, a previsão é que o Joaquim perca força ao longo dos próximos dias, antes de chegar ao continente.

Precauções

Em 2012, o furacão Sandy atingiu a região metropolitana de Nova York, onde está localizada a infraestrutura de energia do estado, e deixou a região severamente danificada pelos alagamentos resultantes da tempestade.

A empresa de energia nova-iorquina Consolidated Edison, que fornece energia elétrica e gás para mais de três milhões de consumidores da cidade de Nova York, afirmou que já investe há três anos em um plano de US$ 2 bilhões de quatro anos de duração para proteger a infraestrutura de energia desde que o furacão Sandy causou pane na metrópole.

Segundo informações do site G1, Sandy, a pior tempestade da história da Con Edison, deixou cerca de um milhão de seus clientes sem energia, e a falta de luz durou duas semanas nas áreas mais atingidas. Em locais com energia fornecida por outras distribuidoras, consumidores chegaram a ficar sem luz muito mais tempo.

Fonte: correio24horas.com.br