EUA vão financiar aulas de português para refugiados sírios em SP

EUA vão financiar aulas de português para refugiados sírios em SP

ONG Missão Paz deve promover os cursos na capital. Embaixada americana vai doar US$ 25 mil.

bandeiraA Embaixada dos Estados Unidos vai doar US$ 25 mil para entidades que acolhem refugiados em São Paulo. O objetivo é financiar aulas de português para os recém-chegados que falem árabe. Com o aprofundamento da crise migratória na Europa, a expectativa da embaixada é favorecer principalmente os sírios que se estabeleçam na cidade.

Nesta quinta-feira (10), a embaixadora norte-americana, Liliana Ayalde, esteve na Missão Paz, na Rua do Glicério, entidade que é referência na acolhida de estrangeiros de todo mundo no Centro da capital paulista para formalizar o acordo. A ideia de financiar as aulas e o curso de inglês partiu da Missão Paz e Missão Diplomática norte-americana decidiu apoiar.

O drama dos sírios que buscam refúgio por causa da guerra ganhou maior repercussão internacional nas últimas semanas depois que o menino sírio Aylan Kurdi, de apenas 3 anos, foi encontrado morto em uma praia de Bodrum, na Turquia. O bote em que ele viajava com um irmão e os pais naufragou. Apenas o pai escapou.

A ajuda acontece em um momento em que a administração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e avalia novas medidas ajudar a acolher os refugiados da crise síria, diante das críticas de que a maior economia mundial não está fazendo o suficiente. O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou na quarta-feira que o país deverá receber mais sírios durante encontro com congressistas.

O Brasil tem concedido asilo a mais refugiados sírios do que os principais pontos de destino de refugiados na Europa, de acordo com levantamento publicado pela BBC. O Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), que é vinculado ao Ministério da Justiça, aponta que 2.077 sírios receberam asilo do governo brasileiro de 2011 até agosto deste ano. Com isso, os sírios constituem o principal grupo de refugiados reconhecidos no país.

Mais de 380 mil migrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mediterrâneo desde janeiro de 2015, segundo a Agência da ONU para os Refugiados (Acnur). Cerca de 2.850 morreram na travessia ou foram reportados como desaparecidos ainda de acordo com o último balanço divulgado pela agência France Presse. Dos migrantes que chegaram à Europa, 51% são sírios.

Braços abertos

O Conare deve prorrogar as regras que facilitam o refúgio de sírios no Brasil. Em vigor desde 2013, a norma que simplifica a concessão de visto a imigrantes sírios venceria no final de setembro.

Nesta quinta, a presidente Dilma Rousseff escreveu num artigo, publicado no jornal “Folha de S.Paulo”, que o Brasil está de “braços abertos” para acolher refugiados. Segundo ela, “quando grandes crises se abateram sobre a Europa e sobre o Oriente, as portas do Brasil estiveram abertas para todos”.

“Desde o início da guerra civil na Síria e da multiplicação de conflitos no Oriente Médio e no Norte da África, o governo brasileiro tem oferecido vistos humanitários aos refugiados sírios. Já são 7.752 vistos concedidos”, afirmou Dilma. “Determinei que esse esforço seja ampliado, pois, como país que abriga em sua população mais de 10 milhões de descendentes sírio-libaneses, não poderíamos agir de outra maneira”, concluiu.

Fonte: g1.globo.com