EUA: Republicanos querem mais cortes contra pobres

EUA: Republicanos querem mais cortes contra pobres

O projeto orçamentário proposto pelos republicanos aponta para mais cortes contra programas federais que favorecem os setores mais pobres dos Estados Unidos, estimaram nesta quarta-feira (2) os meios de imprensa.

Paul Ryan - Wikimedia Commons
Paul Ryan – Wikimedia Commons

Um editorial do jornal The New York Times antecipa que a ideia apresentada nesta terça-feira pelo representante republicano Paul Ryan é destruidora para o país, pois está encaminhada a prejudicar a classe média e os pobres, socavando os programas de assistência social, entre outros.

O Times considera Ryan, que poderia assumir a presidência do Comitê de Meios e Arbítrios da Câmara baixa, como um homem com ideias muito perigosas e em condições de fazer um estrago sério ao código tributário e à rede de segurança.

O projeto publicado na terça-feira cortaria US$ 5,1 trilhões em gastos federais na próxima década e equilibrará as contas do governo com uma ampla série de cortes em programas como os de ajuda alimentar e os serviços de saúde para os pobres subsidiados pelo governo, segundo o legislador.

Igualmente recortaria bolsas para estudantes de baixa renda e pensões para trabalhadores federais.

A iniciativa pode ser aprovada sem problemas hoje no painel orçamentário, mas enfrentará fortes desafios no pleno da Câmara baixa na próxima semana, já que respalda um pacto bipartidarista logrado em dezembro para aumentar os orçamentos das agências federais neste e no próximo ano.

Fontes próximas ao legislativo estimam que alguns republicanos que se opuseram a essa medida mudarão sua posição a favor da ideia de Ryan, enquanto os democratas que acolheram o pacto em dezembro se oporão ao projeto orçamentário.

Do comentário do Times se entende que a iniciativa é mais uma declaração política dos representantes republicanos do que um esforço real para trabalhar com o presidente Barack Obama e os democratas, que controlam o Senado, nos gerenciamentos sérios para reduzir o deficit.

Os senadores democratas já disseram que não irão apresentar um projeto de orçamento neste ano, mas Ryan promoveu seu projeto como um documento reitor das políticas de seu partido se chegarem à Casa Branca.

Para alguns especialistas o documento tenta preparar o cenário para outra batalha eleitoral neste ano sobre o tamanho do governo e o futuro do Medicare e Medicaid.

Ryan, que preside o Comitê de Orçamento da Câmara, avançou aos seus colegas republicanos uma plataforma de campanha em novembro, mas os democratas tentarão transformá-lo em um arma política acusando o chamado partido vermelho de pretender estripar a rede de seguridade social, estimam comentaristas políticos.

Para democratas como o representante Chris Van Hollen, a contraparte de Ryan na Comissão de Orçamento, o projeto republicano é uma declaração de guerra de classes.

Outras fontes destacam que a reforma migratória está ausente no projeto dos republicanos, enquanto o orçamento do presidente pede uma revisão das leis de imigração como uma forma de fortalecer a economia e reduzir o deficit.

Fonte: vermelho.org.br