EUA proíbem venda de ‘adivinhador’ genético de doenças

EUA proíbem venda de ‘adivinhador’ genético de doenças

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A empresa que detém a patente de um “projetor de bebês” foi enquadrada por uma agência reguladora norte-americana, que deseja impedir a comercialização de seu sistema de avaliação genética no país.

A FDA (espécie de Anvisa dos EUA) enviou uma carta à 23andMe preocupada com o Saliva Collection Kit and Personal Genome Service (chamado de PGS) porque o teste promete dar previsões sobre possíveis problemas que a pessoa terá.

Clientes pagariam US$ 99 por uma análise de saliva que combina informações genéticas e ancestrais para falar sobre 254 doenças e condições, incluindo “riscos de saúde” e “resposta a drogas”. A ideia é que a pessoa possa se adiantar a possíveis problemas, o que não agradou a FDA. Falsos positivos ou falsos negativos providos pelo teste poderiam ter consequências danosas aos clientes, diz a agência.

Na carta, a FDA diz ter feito vários contatos explicando que a 23andMe precisa de algumas licenças, mas ao invés de correr atrás disso a empresa tem feito campanhas de marketing para anunciar o produto – violando a legislação federal. “A 23andMe deve interromper imediatamente a comercialização do PGS até o momento em que receber autorização de comercialização pela FDA”, determina o órgão.

Os bebês

Em setembro a 23andMe apareceu por causa de outra polêmica: a patente de um sistema de análises pelo qual pais poderiam adivinhar características de futuros filhos. Altura, peso, cor dos cabelos, riscos de câncer, defeitos cardíacos congênitos, expectativa de vida útil, atletismo e até expectativa de custos com saúde ao longo da vida estão entre as informações que poderiam ser adiantadas.

Embora clínicas de fertilização possam se apropriar do recurso para que as pessoas pudessem escolher como seus filhos seriam, a 23andMe garantiu que não é este o propósito da patente.

E o furor gerado à época talvez seja exagerado, pois é impossível garantir traços de uma criança com o método da 23andMe. A ideia é prever probabilidades e, usando técnicas reprodutivas, aumentar as chances de obter características desejadas, mas nem a comunidade científica entende totalmente a base genética para que se possa escolher como outra pessoa nascerá.

Fonte: olhardigital.uol.com.br com MIT.