EUA apontam três estrangeiros residentes no Brasil por suposto vínculo com Al Qaeda

Embaixada dos EUA no Brasil emite comunicado de alerta quanto a supostos envolvidos com Al Qaeda

O comunicado da Embaixada dos EUA no Brasil aponta que três estrangeiros residentes no Brasil – dois egípcios e um libanês – teriam ligações com a facção terrorista Al Qaeda. Eles estão na lista de sanções econômicas do governo norte-americano

Da Redação

Segundo divulgação da Embaixada dos EUA no Brasil nesta quarta-feira,  três estrangeiros residentes no Brasil – dois egípcios e um libanês –, foram  apontados como apoiadores e financiadores da organização terrorista Al Qaeda e estão numa lista de sanções econômicas do governo norte-americano. A consequência disso é o bloqueio de eventuais bens e interesses desses estrangeiros nos EUA.

O presidente Joe Biden assinou uma ordem executiva para combater organizações criminosas e redes de tráfico de drogas internacionais. Inclusive, uma facção criminosa brasileira que atua em presídios está entre os alvos das sanções.

A assessoria de imprensa da embaixada dos EUA, disse que esses três estrangeiros teriam auxiliado materialmente, patrocinado ou fornecido apoio financeiro ou tecnológico ou bens ou serviços em apoio para a atuação da Al Qaeda.

De acordo com o governo Joe Biden, um deles atuava como informante de membros da Al Qaeda; outro tinha envolvimento com impressão de moeda falsa; e o terceiro seria “agente e facilitador” da organização terrorista. Desde os ataques de 11 de setembro de 2001, o governo dos EUA busca asfixiar os braços financeiros da Al Qaeda.

A diretora do “Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC)” dos EUA, Andrea Gacki, disse que as medidas em relação aos supostos agentes da organização no Brasil “ajudarão a negar o acesso da Al Qaeda ao setor financeiro formal para gerar receita para apoiar suas atividades”.

Para a diretora, “as atividades desta rede sediada no Brasil demonstram que a Al Qaeda continua sendo uma ameaça terrorista global generalizada”.

Informa a assessoria de imprensa da embaixada dos EUA, que “esta ação contra os apoiadores do terrorismo internacional, sediados no Brasil, ressalta que o terrorismo é uma ameaça global que requer ação e cooperação global. Estamos empenhados a continuar o trabalho em estreita colaboração com nossos parceiros brasileiros para combater esta ameaça.”