Estilos que não saem de moda

voltar

OUT/12 – pág. 56

Quando pensamos em decorar nossas salas de estar, sempre temos uma grande preocupação: esses ambientes permanecerão atuais por quanto tempo? Nesta matéria, vou mostrar três estilos que nunca saem da moda.

Visual Clássico:em tons e linhas suaves. Serve de modelo a arquitetura da França dos anos 1930 e 40, com uma linguagem neoclássica, ou seja, remete-nos ao século 18 e 19. Réplicas de móveis assinados por Jean-Michel Franck (1895-1941), estas poltronas com braços de madeira são ícone de elegância do início do século 20, garantindo suavidade ao espaço. O requinte vem dos materiais e do primor artesanal. O uso de detalhes discretos, como molduras em relevo nas paredes, é característica das casas francesas. O tom delas deve estar em harmonia com o bege do tapete, das poltronas e do sofá. Portanto, esta sala não sai de moda, pois aposta em um mobiliário clássico; tem paredes, cortinas e tapete em tons monocromáticos que não cansam; valoriza molduras e adota uma simetria dos móveis propiciando o conforto visual.

Visual Étnico:sobre uma base neutra. Os móveis devem ser de linhas retas e as peças de tons neutros, como este sofá off-white e o grande tapete de sisal. Sobre eles, acrescentamos os toques étnicos, como tecidos coloridos que podem ser de diversas origens para dar calor e personalidade ao ambiente. Podemos ainda usar pufes, como estes indianos com bordados do tipo Bouti, almofadas e peças com características marcantes das culturas que elas representam. Peças de design assinado, como esta poltrona criada por Charles e Ray Eames, e o relógio Sunflower, de George Nelson, ajudam a fazer o diálogo entre o contemporâneo e o étnico na medida certa. 

Esta sala não sai de moda porque as formas orgânicas das peças étnicas amenizam as linhas contemporâneas e trazem aconchego, além disso, o fascínio por objetos de outras culturas atravessa séculos e permanece em voga. A marcenaria branca e reta e o sofá off-white compõem uma base atemporal. Como o colorido está nos tecidos, acessórios e pequenos móveis, podemos substituí-los sempre que desejarmos variar o visual.

Visual natural:combinado ao design escandinavo. Investir em um bom piso de madeira e em uma marcenaria de linhas puras é um ótimo começo para produzir um ambiente de visual durável. Isso combinado com peças representativas do design escandinavo, assinadas por nomes como o finlandês Alvar Alto ( 1898-1976) e o dinamarquês Ame Jacobsen ( 1902-1971), mestres na arte de curvar a madeira, darão o toque de simplicidade das formas, agregado aos tons de madeira clara, às linhas sinuosas valorizando a praticidade e o conforto. Esses preceitos do design escandinavo são sempre atuais, embora suas peças ícones tenham mais de 70 anos. Esta sala não sai de moda, pois reverencia a madeira, material natural, de toque caloroso e que sempre agrada, de linhas retas com algumas peças laqueadas iluminando o espaço, assegurando leveza e unidade visual entre os ambientes.

 

 

Viviane Sperb
Arquiteta
viviane@nossagente.net