Estados Unidos criticam violência policial no Brasil

Estados Unidos criticam violência policial no Brasil

Relatório do Departamento de Estado americano denúncia abusos cometidos por oficiais

Comportamento da PM foi severamente criticado pelos EUA Edison Temoteo/01.09.2013/Futura Press/Estadão Conteúdo
Comportamento da PM foi severamente criticado pelos EUA
Edison Temoteo/01.09.2013/Futura Press/Estadão Conteúdo

O relatório de 2013 sobre direitos humanos do Departamento de Estado dos Estados Unidos, divulgado quinta-feira (27), traz duras críticas ao comportamento das forças de segurança no Brasil, em especial a PM (Polícia Militar), denunciando o uso excessivo da força na atuação da corporação e o alto índice de assassinatos cometidos pelos policiais.

Segundo o relatório, esse tipo de comportamento é motivado pela ineficiência da Justiça brasileira e pela impunidade dos violadores dos direitos humanos.

“O governo processa oficiais que cometeram abusos. No entanto, um sistema judicial ineficiente atrasa a justiça para as vítimas e a responsabilização perpetradores de violações de direitos humanos”, diz o documento.

Como exemplo, o Departamento de Estado americano cita dados do Rio de Janeiro que mostram que de janeiro a julho de 2013 a Polícia Militar assassinou 197 civis nos chamados “atos de resistência”.

“A maioria dessas mortes ocorreu quando a polícia realizava operações contra traficantes de drogas em comunidades pobres do Rio”, diz o relatório.

O texto ainda cita outras violações dos direitos humanos que ocorrem no País, como tortura e detenções ilegais de prisioneiros, censura judicial a alguns veículos de comunicação, corrupção governamental e parlamentar, violência e discriminação contra mulheres, crianças e a comunidade LGBT — incluindo abuso sexual —, e racismo.

Corrupção

O documento destaca ainda o alto índice de corrupção parlamentar que existe no Brasil, mostrando que cerca de 200 dos 594 membros do Congresso foram ou estão envolvidos em casos de corrupção. Nesse caso, novamente sobram críticas ao Poder Judiciário.

“A lei prevê sanções penais para atos de corrupção cometidos por políticos, mas o governo nunca implementou essa legislação de forma efetiva, o que faz com que políticos envolvidos em casos do tipo frequentemente saiam impunes”.

O texto lembra que durante os protestos de Junho de 2013 que tomaram diversas cidades do País, uma das principais críticas dos manifestantes era justamente a corrupção, especialmente os desmandos realizados com o dinheiro público para a realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Fonte: noticias.r7.com