Estado de saúde de bebê salvo pela tia nos EUA é estável, diz jornal

Estado de saúde de bebê salvo pela tia nos EUA é estável, diz jornal

Médicos fizeram anúncio no hospital onde o bebê está internado. A criança passou mal e sua tia parou o trânsito, clamando por ajuda.

Médicos falaram sobre o estado de saúde do bebê ao lado da tia da criança, Pamela Rauseo. (Foto: AP Photo/Alan Diaz)
Médicos falaram sobre o estado de saúde do bebê ao lado da tia da criança, Pamela Rauseo. (Foto: AP Photo/Alan Diaz)

O estado de bebê Sebastian de la Cruz, de 5 meses, é estável, segundo anúncio feito nesta sexta-feira (21) pelos médicos do hospital onde o bebê está internado na Flórida, nos Estados Unidos, conforme publicou o jornal “Miami Herald”. O bebê parou de respirar quando estava no carro com sua tia, Pamela Rauseo, que entrou em pânico e parou o veículo na rodovia para tentar salvá-lo.

Sebastian continua na unidade de terapia intensiva do hospital, ainda de acordo com o “Miami Herald”. O bebê nasceu prematuro, com dificuldades respiratórias, e apresentava um quadro de infecção quando, abruptamente, parou de chorar e assustou a tia, de 37 anos. Após Pamela tentar reanimar a criança, o policial Amauris Bastidas assumiu a massagem no bebê e conseguiu fazer com que ele voltasse a respirar.

Segundo o médico Juan Solano, Sebastian está sob observação e não tem previsão de alta. “Nós achamos que ele estava passando por problemas respiratórios, que se agravaram por causa de uma infecção recente”, explicou em entrevista a jornalistas no hospital.

Os médicos afirmam que querem aproveitar a grande repercussão das imagens de tentativa de salvamento de Sebastian para estimular as pessoas a procurarem o certificado em CPR (ressuscitação cardiopulmonar, em inglês). “Casos como o de Sebastian acontecem todos os dias. O resultado foi positivo, então você pode espalhar a mensagem de que o treinamento é importante e que Sebastian foi salvo pela ressuscitação cardiopulmonar.”

Tia já havia feito curso de salvamento
Pamela relembrou os momentos de desespero ao perceber que o sobrinho havia parado de respirar. “Ele já estava inconsciente. Eu não podia falhar. Eu tinha que fazer esse bebê ficar bem”, declarou aos jornalistas.

Segundo o “Miami Herald”, Pamela e seu marido já haviam passado por um curso de ressuscitação cardiopulmonar sete anos antes, quando um de seus filhos repentinamente parou de respirar. No entanto, ela nunca mais usou o treinamento e havia perdido a prática. Pamela afirmou que pretende fazer um curso de reciclagem.

A mulher reconhece que a presença das pessoas que pararam para ajudá-la foi essencial para o salvamento. “Eu estava realmente no calor da emoção. Se não fosse por eles, eu não sei se eu teria tido a presença de espírito para fazer o que precisava ser feito. As pessoas me acalmaram e disseram que eu poderia fazer aquilo”, lembrou.

A mãe do bebê, Paola Vargas, não estava presente no momento da coletiva de imprensa, mas Pamela disse que sua irmã estava “bem, dentro das circunstâncias”. “Ela é grata por ter seu bebê com ela e espera que, seja qual for o problema, a solução seja simples.”

Fonte: g1.globo.com