Estado americano aprova lei que legaliza discriminação contra gays

Estado americano aprova lei que legaliza discriminação contra gays

Protestos se espalharam imediatamente por várias regiões do estado. Reações chegam de todas as partes dos EUA, e de várias formas.

61824_Papel-de-Parede-Bandeira-dos-Estados-Unidos-da-America--61824_1024x768Políticos e celebridades americanas entraram em uma campanha contra uma lei aprovada pelo estado de Indiana que legaliza a discriminação contra os gays.

Ato da Restauração da Liberdade Religiosa: este é o nome oficial da lei assinada pelo governador de Indiana, Mike Pence. Na prática, a lei permite que donos de estabelecimentos comerciais se recusem a atender gays e lésbicas, baseados em convicções religiosas.

Os protestos se espalharam imediatamente por várias regiões do estado. Michael reclama que ser discriminado em pleno 2015 é inaceitável e ridículo.

A repercussão negativa não surgiu apenas em indiana. As reações chegam de todas as partes dos Estados Unidos, e de várias formas também.

Uma campanha, batizada de ‘Boicote Indiana’, virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, e com apoio de gente importante como o presidente da Apple, Tim Cook, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e o ator Ashton Kutcher.

Os prefeitos das cidades de São Francisco, Seattle e Portland proibiram qualquer gasto com viagens oficiais de funcionários públicos para Indiana. O governador de Connecticut fez o mesmo.

O democrata Dannel Maloy afirma: “Aqui nos honramos a liberdade religiosa, mas não permitimos que essa liberdade seja usada para discriminar”.

A NBA – Liga Americana de Basquete – também protestou oficialmente. O estado já perdeu convenções importantes e grandes empresas anunciaram que vão frear investimentos que já estavam programados. Até a Casa Branca disse que é contra.

O governador Pence, que ser candidato à presidência pelo Partido Republicano, não quer ceder. Ele diz que indiana está sendo vítima de uma onda de Intolerância e que não vai mudar a lei.

Fonte: g1.globo.com

Posted In: