Escritora brasileira recebe Medalha Machado de Assis

Escritora brasileira recebe Medalha Machado de Assis

voltar

SET/15 – pág. 30

A solenidade aconteceu na New York University, em Nova York, no “IV Encontro de Escritores Brasileiros no Exterior”, ocasião em que a poeta Yara Maura Silva – irmã do cartunista, Mauricio de Sousa – foi homenageada. O Jornal Nossa conversou com a escritora

Yara Maura com a Medalha do Merito Machado de Assis
Yara Maura com a Medalha do Merito Machado de Assis

A solenidade do BEA – Brazilian Endowment For The Arts -, marcando o “IV Encontro de Escritores Brasileiros no Exterior”, no último dia quatro de setembro, na New York University, em Nova York, reuniu personalidades empresarias, imprensa e intelectuais, ocasião em que a consagrada escritora e poeta, Yara Maura Silva – irmã do cartunista, Mauricio de Sousa-, recebeu a Medalha do Mérito Machado de Assis. A autora de livros infantis educacionais, como a “Turma da Mônica”, fez importante discurso de agradecimento, enaltecendo a vida e a obra de Machado de Assis na Literatura, pontuando a célebre frase do autor, dita no dia 20 de julho de 1897, quando assumiu a presidência da Academia Brasileira de Letras: “De todas as coisas humanas, a única que tem o fim em si mesma é a arte!”

A escritora fez menção ao presidente da Biblioteca Machado de Assis, em Nova York, Domício Coutinho, que a indicou para receber a significativa medalha, em reconhecimento à sua contribuição como escritora de Literatura Infanto Juvenil Brasileira, no desenvolvimento intelectual das crianças.”Peço emprestadas aqui, as palavras de Machado de Assis: ´Agora que vos agradeço a escolha, digo-vos que buscarei na medida do possível corresponder à vossa confiança.” A plateia se manifestou com calorosos aplausos.

Yara Maura recebe a Medalha de Domicio Coutinho Presidente do BEA
Yara Maura recebe a Medalha de Domicio Coutinho Presidente do BEA

Vice-presidente Internacional da “MSP International Inc.”, em Nova York, a escritora paulistana, que reside em Manhattan, concedeu entrevista exclusiva ao Jornal Nossa Gente, ressaltando sua emoção a o ser agraciada com renomada outorga. Yara é autora do texto e também das letras de músicas da consagrada peça teatral “Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta”. Seu script original foi publicado no livro “A Magia do Teatro Infantil”, no qual o Presidente da Academia Brasileira de Letras, Arnaldo Niskier, apresentava as dez melhores peças infantis do Brasil.

Jornal Nossa Gente – Qual a emoção ao receber a Medalha do Mérito Machado de Assis?

Yara Maura Silva – Para uma escritora veterana que nunca se intimidou diante de uma página em branco na hora de escrever seus textos, devo admitir aqui que a emoção que senti foi in-des-cri tí-vel. Logo pensei em meu pai, o poeta Antônio Mauricio de Sousa, que me orientou desde pequena para os caminhos da literatura e da criatividade.

JNG – É um passo importante para a Literatura brasileira ter você como escritora, representando o nosso país no mundo, não é mesmo?

YMS – Tenho que acreditar que sim! Especialmente dentro de um nicho que me fez ser capaz de publicar mais de 50 títulos “best sellers“ dedicados ao público infanto juvenil, com as maiores editoras brasileiras e do exterior, e que alcançaram a tiragem de 18 milhões de livros.

JNG – Como acontecem as suas histórias, enfim, o seu processo de criação em meio a tantos compromissos?

YMS – Eu me dividia entre o cargo de Vice Presidente Internacional da MSP Inc. promovendo e fechando negócios para os personagens de meu irmão Mauricio de Sousa, em cinco continentes – e mantendo contato com as editoras que se interessavam em lançar diversas coleções de livros meus.No meu processo de criação os assuntos sugeridos por mim e aprovados pelas editoras, passavam por apurada pesquisa antes que eu fizesse a redação final dos textos em versos, em diferentes idiomas, desenhasse os layouts para as ilustrações e elaborasse a redação final do acordo contratual que me garantiria os direitos autorais sobre o layout e o texto.

É esse o mesmo processo que uso para minhas outras atividades artísticas quando crio letras de música para CDs, DVDs,(com três discos de Ouro) Programas de TV e a Peça Teatral Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta, com texto e letras de músicas de minha autoria, que foi relançado em São Paulo e recebeu o prêmio de melhor peça infanto juvenil do ano de 2013.

JNG – Você fez um discurso em homenagem a Machado de Assis no evento de outorga da Medalha do Mérito Machado de Assis?

YMS – Assim que tomei conhecimento da honra que me seria outorgada pela Brazilian Endowment for the Arts de New York, reli livros de Machado de Assis, com o mesmo encanto que tive ainda criança, descobrindo seus personagens, o ambiente e, em especial, seu estilo de contar uma história, sempre interessante, da primeira à última linha de cada livro.Na cerimônia do dia 4 de setembro, tomei emprestados alguns trechos do discurso magnífico proferido por Machado de Assis, quando ele foi empossado como “Presidente da Academia Brasileira de Letras” em 20 de julho de 1897. Suas palavras ainda são uma verdadeira bússola para os que pretendem seguir a carreira literária.

JNG – Você também participou de eventos desse porte em outros países?

YMS – Há mais de 20 Anos tenho participado de Feiras e Congressos Internacionais e recentemente, nos Estados Unidos, proferi palestras na Universidade Yale (CT) Columbia (NYC) Georgetown (Washington, DC) e New York University (NYC): Além da Biblioteca Brasileira de New York – BEA Brazilian Endowment for the Arts e Radio ONU. Tenho ainda convites para eventos em Setembro e Outubro nos Estados Unidos e na França.

JNG – Compor, escrever, dar palestras, quem cuida da sua agenda?

YMS – Quem cuida da minha agenda são minhas filhas, Mayra e Maura, em New York, (Planoinfalivel@aol.com). Tem webpage com minha biografia: (www.Monicatoon.Wordpress.com).

JNG – Como formadora de opinião, qual a sua visão em relação ao Brasil? Você aposta no país?

YMS – Eu aposto no Brasil se ele levar a sério a necessidade absoluta de educar as crianças, que serão os dirigentes do nosso futuro.Durante os vinte anos em que tenho vivido e viajado pelo exterior percebi que as crianças brasileiras que emigram para o exterior, têm a tendência de aprender o idioma do país onde vivem, em detrimento do idioma do seu país de origem.Com isso, venho promovendo uma nobre Causa: -“O Português como Língua de Herança, com Enfoque na Criança” – para modificar esse status-quo: Para serem bilíngues e assim manter vivo o idioma português, no exterior.

JNG – Aos novos escritores, qual a dica?

YMS – Leiam, Leiam, Leiam! E quando se sentirem inspirados e escreverem o seu primeiro livro não se esqueçam de registrar antes de tudo os seus Direitos Autorais na Biblioteca do Congresso de Washington.


WaltherAlvarenga

Walther Alvarenga