Eric Adams, democrata e ex-policial, é eleito prefeito de Nova York

O democrata Eric Adams, eleito prefeito de Nova York, promete combater o crime na cidade

 

Democrata e ex-policial, Eric Adams, 61, foi eleito o novo prefeito de Nova York nesta terça-feira – o segundo prefeito negro da maior cidade dos EUA. De família pobre do Brooklyn, Adams sucederá a Bill de Blasio em 1º de janeiro, ao derrotar seu rival republicano Curtis Sliwa

 

Da Redação

O ex-policial Eric Adams, que combateu o racismo quando era um jovem infrator, foi eleito o novo prefeito de Nova York nesta terça-feira, de acordo com a projeção da Associated Press divulgada minutos após o fechamento das urnas. Ele é democrata, e o segundo prefeito negro da maior cidade dos EUA, o que vem sendo comemorado pela comunidade negra no país.

Natural do Brooklyn, Adams , de 61 anos, disse que essa eleição foi uma espécie de revanche para aquele “garoto” que flertou com o crime e a exclusão social, assim como para os nova-iorquinos de famílias pobres. Emocionado e confiante quando votou, não se esquivou da imprensa quando indagado sobre a vitória nas urnas: “Já ganhamos! Por eu estar aqui, os nova-iorquinos comuns compreenderão que também merecem estar nesta cidade”, disse o candidato.

Filho de uma família pobre do Brooklyn, filiado ao Partido Democrata, Adams sucederá a Bill de Blasio, também democrata, em 1º de janeiro. De Blasio está no pior momento de sua popularidade, apesar de ter conseguido tirar a cidade de mais de oito milhões de habitantes do caos em que a pandemia do coronavírus a afundou.

Segundo analistas e economistas, o cargo de prefeito de Nova York, que administra um orçamento de US$ 98,7 bilhões para o ano fiscal de 2021-2022 é o segundo mais difícil depois da presidência do país. E ao derrotar seu rival republicano Curtis Sliwa, de 67, Adams se torna o segundo prefeito negro a governar a capital econômica e cultural dos EUA, depois de David Dinkins (1990-93).

Nos últimos dias de campanha, centrada na insegurança, o prefeito debateu duas vezes na televisão com o seu rival republicano. Sliwa, por sua vez,  censurou Adams por não ter se reunido com os sindicatos policiais, onde há maior resistência, junto aos bombeiros, à obrigatoriedade da vacina anticovid-19 entre os funcionários públicos, e por ter preferido se reunir para falar sobre o combate ao crime com ex-líderes de gangues de Nova York.

E isso apesar de o ex-policial ter prometido combater os crimes que dispararam em 2020, antes de cair novamente este ano. Eric Adams se apresenta como um líder determinado, defensor das classes média e popular.

Como seus antecessores, o vegano comandará a maior força policial do país, a NYPD, com 36 mil funcionários, cuja reforma prometeu continuar. Aos 15 anos, quando era um jovem infrator e chegou a ser espancado pela polícia, o candidato a prefeito prometeu a si mesmo que faria todo o possível para “mudar o sistema por dentro”.