Encontro de Biden e Jinping coloca Taiwan como ponto de divergência entre líderes

Reunião entre Joe Biden e Xi Jinping tenta evitar escalada de tensões entre os dois países

 

A reunião virtual entre os presidentes Joe Biden e Xi Jinping com propostas de evitar conflitos entre ambos os países, mantém Taiwan como ponto de divergência. Biden expressou “preocupações” sobre os abusos dos direitos humanos e “movimentos unilaterais” contra Taiwan. Jinping alertou que apoiar a independência de Taiwan é como “brincar com fogo” 

 

Da Redação

A aguardada reunião virtual entre o presidente Joe Biden e o presidente chinês Xi Jinpings durou horas nesta segunda-feira, oportunidade em que os líderes das duas maiores economias do mundo se propuseram evitar conflitos entre ambos os países, embora houvesse divergências em relação a Taiwan. Biden disse que “é importante os dois países se comunicarem de forma transparente e honesta, e que devem respeitar as regras internacionais.”

Por sua vez, Jinping se referiu a Biden como “velho amigo”. Ele afirmou que ambos devem “respeitar uns aos outros, coexistir em paz e buscar uma cooperação em que ambos ganhem”. Disse ainda que “espera trabalhar com o presidente americano para promover um desenvolvimento positivo”

Lembrando que o encontro virtual aconteceu depois de Biden criticar a ausência de Xi Jinping em importantes reuniões internacionais e em um momento em que o presidente chinês fortalece seu controle sobre o regime.

Biden expressou “preocupações” sobre os abusos dos direitos humanos e “movimentos unilaterais” contra Taiwan. O presidente chinês, por sua vez, alertou os EUA que apoiar a independência de Taiwan é como “brincar com fogo.”  “Essa tendência é muito perigosa e é como brincar com fogo, e quem brinca com fogo se queima”, disse Xi Jinping.

A China considera Taiwan, de 23 milhões de habitantes, uma de suas províncias e se propôs a recuperá-la, mesmo que pela força, se necessário.

Pequim e Washington intensificaram a retórica nas últimas semanas sobre a ilha, que tem um governo democrático e possui moeda e forças armadas próprias. No entanto, Taiwan não proclamou formalmente sua independência.

Os dois presidentes conversaram longamente por telefone duas vezes desde a posse de Biden em janeiro. Dada a recusa de Xi em viajar para o exterior devido à pandemia, optou-se por uma reunião online para manter conversas diretas.

Os assessores de Biden apresentam a cúpula como uma oportunidade para tentar evitar uma escalada das tensões, especialmente em relação a Taiwan, uma democracia autônoma que a China considera uma província turbulenta.

As relações entre as duas potências entraram em colapso durante a presidência de Donald Trump , que lançou uma guerra comercial contra a China enquanto criticava Pequim pela pandemia de Covid.

Biden reformulou o confronto de forma mais ampla, em uma luta entre democracia e autocracia, e embora seu tom seja mais comedido que o de Trump, a relação entre Washington e Pequim continua tensa por questões como Taiwan, direitos humanos e comércio.