Empréstimos para compra imobiliária

voltar

JAN/13 – pág. 42

Queridos leitores, desejo que vocês tenham um extraordinário 2013, cheio de vitórias e conquistas.

______continua após a publicidade_______

seguro

O ramo imobiliário na nossa região terminou muito bem e a expectativa para o novo ano é o mercado continuar aquecido.

Nesta edição, contatamos um dos Mortgage Brokers mais conhecido e estimado dos brasileiros para informar-nos a respeito de empréstimos para a compra imobiliária. O senhor Dwight Kleine, da Fidelity Funding Mortgage Corp, está neste ramo há anos e tem nome muito conceituado no mercado. Ele será nosso entrevistado do mês.

O Dwight faz empréstimos para estrangeiros com 30% de entrada e atende a todos que vivem aqui.

Dwight, como você descreve o mercado de empréstimos imobiliários hoje?

Hoje, está muito mais difícil qualificar-se para um empréstimo se comparado com anos anteriores. Isso se deu por causa do governo federal que, através de seus órgãos Fannie Mae e Freddie Mac, dificultou a qualificação para empréstimos com o objetivo de reduzir riscos e fraudes. Infelizmente, quando os regulamentos tornam-se muito rígidos, corre-se o risco de diminuir a competição de mercado e/ou reduzir a disponibilidade do produto ou serviço que está sendo alvo de proteção. Eu acredito que, com Dott & Frank Bill e até com Fannie Mae ou Freddie Mac, sejam privatizados novamente, eu creio que o governo estará regularizando os bancos e os setores de empréstimos. Como consequência, os futuros compradores continuarão tendo dificuldades para qualificar-se para a obtenção de empréstimos. Creio também que, quando há uso excessivo de regulamentações, você corre o risco de ter aumento nos custos das negociações. O único motivo por que os juros continuam baixos e não sobem é o governo estar artificialmente mantendo essa posição. Assim que o governo resolver parar, os juros subirão demasiadamente.

Quais as principais diferenças de um empréstimo obtido em 2012/2013 quando comparado com 2005?

Em 2005 e anos antes da crise financeira (2008 e 2009), era muito simples conseguir um empréstimo para se comprar imóveis, porque os padrões de qualificação para obtenção dos mesmos era muito fácil. Outro importante motivo é que os futuros compradores tinham muitas opções de programas de financiamento para escolher. Com o interesse de permitir e aumentar o número de pessoas para ser dono de imóveis e/ou facilitar empréstimos para pessoas com rendas mais baixas, o governo pressionou a indústria bancária a reduzir o seu sistema de qualificação, surgindo assim o subprime market (mercado para empréstimos de maior risco), que começou a realizar empréstimos para compradores que não possuíam necessariamente bom crédito ou com histórico de crédito ruim, então, surgiram vários tipos de empréstimos criativos. A facilidade de empréstimos explodiu com a grande demanda de compra de imóveis, ficando fora de controle, permitindo o aparecimento da ganância em Wall Street, consumidores, mortgage brokers, bancos etc. Como consequência, a “bolha estourou” há quatro anos. Hoje, existem mais regras e não há incentivo para pessoas inescrupulosas, para não profissionais e para aqueles que faziam o trabalho como um passatempo – sem dedicação para entrar no mercado bancário ou no setor de empréstimos.

Quais são os passos que um futuro comprador deve tomar para conseguir um empréstimo para comprar seu imóvel?

Deve se ter um crédito médio de no mínimo 640; quando se faz a conta de quanto ganha e quanto gasta, não pode ser mais do que 50%; a cópia dos dois últimos W-2 de 2010 e 2011; cópia dos últimos cheques recebidos no prazo de 30 dias; cópia dos dois últimos anos do imposto de renda (1040); se trabalhar por conta própria, é preciso apresentar os dois últimos anos de imposto de renda da empresa (1120);  cópia dos últimos dois meses das contas bancárias; cópia da carteira de habilitação e do seguro social; se não for cidadão americano, a cópia do Green Card é necessária.

As pessoas que necessitam arrumar o seu crédito para poder comprar uma casa no futuro devem procurar você com quanta antecedência e quais providências devem tomar?

Para os clientes que tem o seu crédito com menos de 640, eu sugiro que procurem um profissional do ramo o mais rápido possível, pois demora de 6 meses ou mais para o número do crédito ou histórico dele. Todos cometem erros ou passam por dificuldades financeiras em um ponto da vida, mas a pior coisa é não fazer nada para arrumar a situação do histórico do seu crédito. Se a pessoa está com problema nisso, deverá procurar um expert para ajudá-lo a corrigir o problema. Eu, normalmente, sugiro aos meus clientes disputar as coisas negativas do crédito – collection and charge off accounts – e mostro-lhes como fazer isso e obter sucesso. Às vezes, se pagamos os nossos cartões de crédito e as contas ficam abaixo de 50% do limite em cada um, isto poderá aumentar 30 pontos ou mais no seu crédito. Se um indivíduo não tem crédito ou tem pouco, a melhor estratégia é começar a construir o seu crédito através da abertura de 2 contas de cartões pré-pagos – bandeira visa ou mastercard, com bancos que oferecem essa opção ou google on-line para companhias de boa reputação que oferecem cartões pré-pagos. Para obter um cartão pré-pago, você deverá abrir uma poupança com cerca de $300 ou mais e o banco lhe dará um cartão pré-pago na quantia de sua poupança.

Quais são os tipos de empréstimos disponíveis hoje?

FHA , Conventional, VA, USDA, Equity ou Hard Money e Reverse Mortgage.

Continuaremos a nossa entrevista com o Dwight na próxima edição. Se você tiver dúvida e desejar contatá-lo, pode ligar para (407) 3703691 ext. 105 ou e-mail: dwightkleine@gmail.com

Vera Mendonça – Realtor
(407)367-8711
vera@nossagente.net



____________________publicidade___________________

seguro

tarot

anuncie