Economia de Orlando já passou Miami e é a mais forte da Flórida

Economia de Orlando já passou Miami e é a mais forte da Flórida

voltar

OUT/15 – pág. 31

romano

Parece que o que ainda ia demorar está acontecendo. A economia de Orlando já é a mais forte da Flórida, superando inclusive a de Miami.
Baseado no aumento do Produto Interno Bruto (GDP, em inglês), a economia cresceu, no ano passado, 3,4%- segundo o departamento de inteligência da Comissão de Desenvolvimento Econômico de área de Orlando (OEDC). Esse impulso ocorreu devido ao esforço da área de diversificar os elementos econômicos, sendo que a maior causa desse desenvolvimento veio do setor de atacado e de varejo, seguido pelo crescimento da população na área. O GDP foi também muito impulsionado pelo aumento do turismo e da indústria relacionada à área da saúde, bem como da contribuição positiva do setor financeiro de seguros.

A notícia vem do Gowth Spotter, um serviço de informações do jornal Orlando Sentinel, e baseado em dados obtidos com o diretor desse setor do EDC. Ainda, fundamentado nas mesmas fontes, o setor governamental e de recursos naturais teriam crescido menos, reduzindo um pouco esse índice de progresso.Esse mesmo estudo mostrou que a economia de Miami cresceu 3%.

Na mesma semana, foi anunciado o índice de crescimento da economia dos Estados Unidos: 3.9% no segundo trimestre deste ano. Existe aí um hiato entre a medição dos índices nas áreas metropolitanas e no país como um todo. Não dá para comparar com o produto nacional diretamente. O crescimento de Orlando, no ano passado,foi quase uma vez e meia o crescimento coletivo de todas as áreas metropolitanas dos Estados Unidos (2.3%). Orlando obteve esse índice em 2013 e 0.9% em 2012.

Desde 2009, quando terminou a recessão, a economia de Orlando tem melhorado constantemente. Bens e serviços propagaram-se em 16% na área desde aquela época, saindo dos cerca de $100 bilhões de dólares, indo para $116 bilhões de dólares em 2014.

Em relação a outras regiões metropolitanas no país, somente quatro ultrapassaram a de Orlando: Austin e Portland, pelo impulso do setor industrial; Denver, que fez parte da onda de investimentos no setor energético que afetou todo o oeste americano; e Nashville, que teve a economia impulsionada por pequenas empresas que começaram a crescer bastante.

Essas informações são importantes para decisões de fórum pessoal e profissional, pois podem dar uma visão de médio e longo prazo para quem pensa em mudar para a área de Orlando ou investir nela, deixando claro que há muitos setores que podem ser vistos como nichos de mercado – a indústria e a saúde -, dois fortes impulsionadores da economia, sendo que o primeiro é dormente na região.

Olhando para a região de Orlando, é normal ver guindastes de obras trabalhando e desaparecendo rapidamente. Qualquer ida a um shopping center da cidade mostra o que vai provocando esse resultado. Um despretensioso passeio ao Aeroporto Internacional de Orlando, em um dia “morto”, assusta ao ver quantos passageiros chegam à cidade e saem dela, sem que seja época de Copa do Mundo ou SuperBowl, a final do campeonato de futebol americano.


Antonio Romano
www.atlanticexpress4.com
antonioromano@gmail.com