É importante cuidar de quem cuida de você: faça um seguro de vida

voltar

FEV/12 – pág. 20

Provavelmente, a maioria das pessoas concordaria que o chefe de família deve ter um seguro de vida. Mas e o cônjuge que fica com as responsabilidades da casa e não recebe uma renda não deveria também ter um seguro?

 

O cônjuge do lar

 

Se acontecesse alguma coisa com o cônjuge do lar, seria uma devastação emocional para o cônjuge sobrevivente e os filhos. Mas poderia haver, ainda, um enorme impacto financeiro. Durante os períodos de dificuldade que estariam por vir, poderia ser necessária a ajuda de alguém para cuidar dos filhos e da casa. No começo, amigos e parentes poderiam ajudar. Mas, no final, eles precisariam voltar a suas atividades normais – e o cônjuge sobrevivente precisaria voltar a trabalhar.

Nesta hora, o único recurso poderia ser a contratação de serviços profissionais. E esta etapa poderia representar um problema financeiro.

Embora todos reconheçam o papel fundamental do cônjuge do lar, poucas pessoas pensam nos custos dos serviços realizados por esta pessoa. Isto inclui cuidar dos filhos, tomar conta da casa, preparar as refeições, além de várias outras atividades que consomem muito tempo, como transporte solidário, lavanderia e compra de supermercado. Atualmente, os custos anuais com os filhos podem ultrapassar1 US$23,000.00 para crianças de 15 a 17 anos em famílias com ambos os pais. Somando tudo, o valor financeiro equivalente dos serviços básicos prestados por um cônjuge do lar pode chegar a dezenas de milhares de dólares por ano. Por isto, é fundamental que o cônjuge do lar tenha o seu próprio seguro de vida. É muito difícil para uma família lidar com os impactos emocionais de perder um parente ou cônjuge

 

De quanto seguro de vida você precisa?

 

Não há regras rígidas nem rápidas para determinar a quantidade de seguro de vida, porque duas famílias não têm exatamente as mesmas necessidades nem os mesmos recursos. Não obstante, como regra geral padrão, o valor adequado da proteção de seguro de vida poderia ser igual ao salário anual de um indivíduo multiplicado pelo número de anos antes de o filho mais novo se formar na faculdade, dependendo de outras rendas ou recursos disponíveis.

Ao calcular um valor para o cônjuge do lar, o valor financeiro anual dos serviços que o cônjuge presta deverá ser levado em conta. Digamos que você descubra que o valor financeiro dos serviços que o cônjuge do lar presta à sua família é igual a US$50.000,00 por ano. Se o seu filho mais novo terminar a faculdade em 15 anos, o valor adequado do seguro de vida necessário ao cônjuge do lar seria aproximadamente de US$750.000,00, dependendo de outras rendas ou recursos disponíveis.

Algumas outras coisas que poderiam determinar o valor do seguro são custos com funerais, despesas médicas, taxas de inventário e partilha, impostos sobre espólios e inflação. O seu agente de seguros pode ajudá-lo a definir o tipo e o valor do seguro de vida de que você precisará. Há dois tipos básicos de seguro de vida para você escolher: temporário e permanente.

 

Uma variedade de opções

 

Há uma ampla variedade de produtos de seguro de vida temporário e permanente disponíveis para atender as suas necessidades. O seu agente de seguro de vida pode explicar as opções disponíveis para você.

Monica Camargo de Franchi Souza
mcfranchisou@ft.newyorklife.com
407-276-6107