Crianças internadas com Covid nos EUA preocupa; médicos em alerta

O índice de internação de crianças com Covid, entre 5 a 11 anos, acende o alerta vermelho nos EUA

A “Associação Norte-americana de Pediatria” reforça o alerta, afirmando que os casos de Covid-19 entre crianças de cinco a 11 anos aumentaram consideravelmente. O Departamento de Saúde de Nova York incentiva os pais para que levem seus filhos maiores de cinco anos para tomarem a vacina

Da Redação

Nova York impressiona com o crescimento no número de internações de crianças e adolescentes com até 18 anos, infectadas pela Covid-19. O quadro agravante chama a atenção das autoridades de saúde, pois o aumento começou após a reabertura das escolas e ganhou força com a propagação da variante Ômicron.

Diante desse crescimento, o Departamento de Saúde de Nova York vem alertando aos pais para que levem seus filhos maiores de cinco anos para tomarem a vacina contra a Covid-19.

O jornal “The New York Times”, em dezembro divulgou em diversas reportagens as internações dessa faixa etária que quadruplicaram, sendo a metade crianças menores de cinco anos – público que ainda não pode receber a vacina.

Em comunicado, o “Departamento de Saúde de Nova York” confirmou o aumento no número de internações. Ainda conforme o documento do órgão, as crianças de cinco a 11 anos, internadas desde o dia 19, não tinham o esquema de vacinação completo.

De acordo com reportagem do “Times”, a tendência de elevação de casos de Covid-19 entre pessoas menores de 18 anos vem sendo registrada em outros estados americanos. A “Associação Norte-americana de Pediatria” também reforçou o alerta, afirmando que os casos de Covid-19 entre pessoas menores de 18 anos “aumentaram muito.”

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a vacinação de crianças de cinco a 12 anos no último dia 16. No entanto, não há previsão de quando o imunizante começará a ser aplicado.

Em quase dois anos de pandemia no Brasil, cerca de 1.1 mil crianças brasileiras morreram vítimas do novo coronavírus, superando o número de mortes infantis causadas por outras doenças que também têm vacina para combater.

Além dos EUA, outros países já iniciaram a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. O mais recente foi a França, que começou a imunização no dia 22 de dezembro.