Congresso dos EUA faz acordo para evitar outra paralisação

Congresso dos EUA faz acordo para evitar outra paralisação

Governo teve de paralisar as atividades por cerca de 15 dias em outubro

Imagem da sede do governo dos EUA refletida na água é feita do 15º dia de paralisação por falta de acordo. (Foto: Mark Wilson/Getty Images/AFP)
Foto: Mark Wilson/Getty Images/AFP

Os encarregados das negociações orçamentárias no Congresso dos EUA chegaram nesta terça-feira (10) a um acordo preliminar para financiar o governo além do dia 15 de janeiro e evitar uma nova paralisação por falta de fundos como a do último mês de outubro.

O legislador republicano Paul Ryan e a senadora democrata Patty Murray, que lideraram as negociações, anunciaram em entrevista coletiva os detalhes do acordo, que também altera parcialmente para os anos fiscais 2014 e 2015 os abruptos cortes do gasto público que entraram em vigor em março.

Paralisação do governo
O governo teve de paralisar suas atividades no dia 1º de outubro, por 16 dias, fechando parques e dando licença para funcionários, porque o orçamento para o ano deveria ter sido aprovado até o dia 30 de setembro e não foi.

Sem o orçamento, o governo federal vinha tendo seus gastos garantidos por permissões temporárias, chamadas de “resoluções continuadas”. A última, aprovada em março, expirou naquele dia, 30 de setembro.

A menos de duas horas do fim do prazo, em 16 de outubro, a Câmara aprovou um acordo que aumentou teto da dívida e pôs fim à paralisação das atividades do governo e à chance de o país ficar impedido de tomar emprestar mais dinheiro no mercado e honrar seus compromissos. O texto  previa a elevação do teto da dívida do país até pelo menos 7 de fevereiro e a reabertura do governo até 15 de janeiro.

Fonte: g1.globo.com (da EFE)