Como lidar com o medo

Como lidar com o medo

O medo paralisa-nos; preocupados, dormimos mal; bebemos e comemos mais e pior; temos menos paciência com as coisas e pessoas; deixamos de ser capazes de prestar a devida atenção as coisas, de nos lembrarmos do que ouvimos, fizemos ou íamos fazer.

A falta de poder e a incerteza aumentam o nosso medo.

Como o mundo a nossa volta esta igual ou pior, isso nos ajuda, por um lado, e desespera-nos, por outro.

Face a um corona vírus altamente contagioso e perigoso, não sabemos se o temos, já tivemos, ou vamos ter; preocupamo-nos por nos e por aqueles ao nosso lado.

E normal. Desejamos saúde e encontrar soluções para tal.

A melhor maneira de lidar com o medo e tremer; e identificar a causa, dar-lhe um nome e tempo.

Na realidade, para nos movermos de forma prudente e responsável, precisamos de tempo e de certa ansiedade.

Só assim o mundo parou e nos também!

Depois de mais de um mês de notícias e conversas, já todos sabemos que e melhor não sairmos de casa e, se tiver que ser, que ponhamos máscaras, evitemos estar perto de outras pessoas e que lavemos as mãos demorada e frequentemente; e importante evitar tocar a cara; deixar os sapatos fora de casa; lavar a roupa que usamos e as coisas que trazemos, ao chegar a casa, e, imediatamente tomar um duche.

Depois de várias semanas em quarentena (por mim e pelos outros), as tantas ja me habituava e ficava assim… Mas o isolamento permanente não e saudável nem possível, de modo que pensei, “já fiz a minha parte (e continuarei a fazê-la) portanto agora, Deus, protegei-me e aos meus, por favor.”

Se quer vencer o medo, aceite a realidade, proteja-se e depois, projete vitória, melhorias e tire partido do que pode.

Olhe com gratidão o seu ninho, aqueles e aquilo que ama.

Jogue um jogo de cartas esquecido ou aprenda um novo. Faca o pudim da tia-avó. Decore uma canção bonita. Participe no zoom com a família ou amigos. Pinte a cômoda velha. Aproxime-se mais da sua fé. Estude. Medite. Faca yôga.

Não se distraia do medo; transforme-o.

Lide com o medo como um toureiro a portuguesa:  confronte o vírus de caras (ou aquilo que o assusta), reconheça os riscos, se previna e aproveite o que pode.
Boa saúde!