Como fica o atendimento na pandemia? Cônsul do Brasil em Miami esclarece.

 Leonardo Rabelo, Cônsul-Adjunto do Consulado-Geral do Brasil em Miami, esclarece dúvida.

 

O Cônsul-Adjunto do “Consulado-Geral do Brasil em Miami”, Leonardo Rabelo, fala com exclusividade ao Site “Nossa Gente”, pontuado diretrizes no atendimento presencial, serviço emergencial, entre outros tópicos. A importância do registro de casamento, e o alerta aos brasileiros com cidadania americana

Da Redação

Em entrevista ao “Jornal Nossa Gente”, Leonardo Rabelo, Cônsul-Adjunto do “Consulado-Geral do Brasil em Miami”, fala do serviço emergencial que vem sendo realizado com a reabertura do atendimento presencial, desde o dia 1 de junho, auxiliando a Comunidade Brasileira na Flórida em tempos de pandemia. Afinal, o que muda no Consulado com a nova realidade dos EUA? “O nosso atendimento prioriza as pessoas que perderam documentos e que precisam voltar ao Brasil; àqueles brasileiros que estão no país a serviço temporário nos parques; caso de falecimento na família e o visto de estudante. Tem o processo de deportação, a questão da saúde e a regularização imigratória, trabalhos essenciais do Consulado. Os demais serviços, incluindo a renovação de passaporte e a emissão do primeiro passaporte podem ser feitos via correio”, ressalta Leonardo.

“O nosso intuito e reduzir ao máximo a presença de consulentes em nossas dependências, por questão de segurança, em momento delicado de covid-19. Temos tido atendimento presencial, com algumas restrições, mas é preciso agendar a visita ao Consulado. O consulente deve entrar no nosso portal de informações e fazer o agendamento para que possamos ter o controle e evitar a aglomeração. Temos dois telefones disponíveis para marcar horário e situações emergenciais. O uso de máscara é obrigatório ao comparecer no Consulado, e deverá adentrar-se em nossas dependências quem de fato for ser atendido”, alerta.

Lembra o Cônsul que antes da pandemia, “tínhamos um trânsito intenso de pessoas no Consulado, e trinta funcionários eram disponibilizados para o atendimento, algo que na atual circunstância é inviável, não pode mais. Estamos atendendo os casos emergentes com um número reduzido de funcionários, sendo que os demais serviços nós priorizamos através dos correios”, informa o Cônsul.

Quanto à proibição do turista brasileiro na Flórida, e se essa redução de visitantes interfere nos trabalhos do Consulado, Leonardo Rabelo, quando consultado, foi objetivo: “As pessoas que nos procuram geralmente são residentes que precisam renovar o passaporte ou regularizar documentos necessários no país. O turista brasileiro procura o Consulado em caso de perda do passaporte ou quando ele é roubado. São casos extremos, e isso não interfere diretamente no nosso trabalho com a pandemia. Evidente que também reduziu o número de brasileiros que vai ao Brasil porque quem for agora não pode voltar. Mas não paramos de trabalhar, mesmo quando o Consulado esteve fechado nos meses de março, abril e maio, atendendo em home office os tripulantes de navio, turistas e residentes”, complementa.

Registro de casamento – Consultado sobre o turista americano, no caso da necessidade de documentos por parte do Consulado – americano é isento de visto de entrada no Brasil –, relata Leonardo que o grande problema tem sido o casamento entre brasileiro(a) e americano(a). O motivo? A maioria não é registrado no Consulado Brasileiro. “Acontece que o casamento entre brasileiro e americano, quando não é registrado no nosso Consulado, será um grande problema para o casal. O marido ou a esposa, americanos, vão ser barrados no Brasil ou mesmo a companhia aérea porque o casamento não recebeu o registro do Consulado brasileiro. Muitos casais não sabem dessa procedência e acabam tendo sérios problemas no embarque. E o registro de casamento demora alguns dias, não é do dia para a noite. Têm normas que devem ser respeitadas”.

“Casamento sem o registro do Consulado é o que mais acontece na Flórida no momento. Peço aos casais – brasileiro e americano –, que consultem o portal do Consulado, e que se informe sobre os procedimentos para o registro do casamento, evitando transtornos na hora de viajar. Estamos à disposição dos casais que queiram regularizar suas respectivas situações”, orienta Leonardo.

Outro ponto que o Cônsul-Adjunto destacou é autorização de viagem que o brasileiro, com cidadania americana, deve solicitar ao Consulado para ir ao Brasil. “O cidadão viaja com passaporte brasileiro, mas tem cidadão que tenta embarcar apenas com o passaporte americano. Isso não é aceito, precisa ter em mãos a autorização de viagem do Consulado Brasileiro. Ele poderá retornar aos Estados Unidos com o passaporte americano, mas não poderá ir ao Brasil com o passaporte americano. São cuidados essenciais para o cidadão com dupla nacionalidade”, enfoca.

“Estamos à disposição dos brasileiros para quaisquer dúvidas. Temos o nosso site de informações, basta acessá-lo, pois lá contém as devidas orientações. Caso seja uma situação emergencial, o consulente deve nos procurar para receber o nosso suporte”, finalizou o Leonardo Rabelo.

Serviço

Consulado-Geral do Brasil em Miami 

Informações: http://miami.itamaraty.gov.br

Dúvidas e-mails: passaporte.miami@itamaraty.gov.br

ou consular.miami@itamaraty.gov.br