Comercial da Coca-Cola gera onda de preconceito nos EUA

Comercial da Coca-Cola gera onda de preconceito nos EUA

Filme tem música patriótica cantada em diferentes idiomas

Print - Coca-cola (Foto: Reprodução)
Print – Coca-cola (Foto: Reprodução)

Um comercial da Coca-Cola despertou a ira de racistas nas redes sociais. Exibido no último domingo (2), durante o Super Bowl, jogo decisivo da principal liga de futebol americano dos Estados Unidos, o filme mostrou o país em toda a sua diversidade. Pessoas de várias cores e culturas aparecem ao som de uma música bem patriótica,America The Beautiful, cantada em diferentes idiomas, como espanhol, mandarim, francês e árabe.

Logo depois da exibição, telespectadores registraram na internet sua indignação, dizendo que uma canção como essa só poderia ser cantada em inglês. “Eu estou realmente desapontada pelo comercial da Coca-Cola na noite passada. Falem inglês!”, escreveu uma mulher no Twitter. “Esse comercial da Coca é uma droga! Mexicanos, terroristas, judeus e negros não são americanos!”, escreveu outra. Um tumblr reuniu as piores – e mais ofensivas – frases. O assunto foi um dos mais comentados na noite e #BoycottCoke (boicote a Coca) chegou aos trending topics globais.

O ex-deputado republicano Allen West explicou em seu blog por que ele e outros ficaram tão irritados com a propaganda. “A última coisa que queremos ver é uma América balcanizada [dividida]. Além disso, deve haver a preocupação de que nós, americanos, temos que tomar uma posição pelas nossas fronteiras, linguagem e cultura.”

Segundo a CNN, West disse que todo comercial deveria ter sido em inglês e mostrado militares de diversas raças, “para tratar de um diverso comprometimento com o trabalho, o sacrifício e a honra de viver na América, a Bela”.

Outro republicano e ex-assessor da Casa Branca, David Plouffe, pediu o boicote aos produtos da Coca-Cola na conferência do partido.

O país sempre foi multicultural, já que foi colonizado e construído por imigrantes. O espanhol tem sido o idioma predominante em muitas partes dos Estados Unidos e 60 milhões de cidadãos falam outra língua em casa, além do inglês. A boa notícia é que esse entendimento foi compartilhado inúmeros telespectadores, que elogiaram a empresa de refrigerante. “Obrigada pela coragem de mostrar nosso lindo país em sua realidade”, tuitou um internauta.

Durante o Super Bowl são exibidos os comerciais mais caros da TV. Trinta segundos chegam a custar US$ 4 milhões. Não à toa: mais de 100 milhões de pessoas assistem à partida. Temas patrióticos são recorrentes e todo o evento gera muitas discussões. Estima-se que cerca de 25 milhões de posts relacionados à partida foram publicados em apenas quatro horas no Twitter.

Fonte: epoca.globo.com