Cancelamento de voos consecutivos nos EUA traz transtornos a passageiros

Drama enfrentado por passageiros nos aeroportos dos EUA com cancelamentos de voos

Cerca de 400 voos da “American”, “Delta”, “United” e “Jet Blue” foram cancelados nas últimas horas. E o motivo principal desses cancelamentos é devido ao avanço da variante Ômicron, informou a empresa norte-americana “Flight Aware”, especializada em fornecer dados em tempo real de voos

Da Redação

Na semana de fim de ano continua o drama de passageiros nos aeroportos dos EUA, com as principais companhias aéreas cancelando centenas de voos pelo terceiro dia consecutivo devido ao avanço da variante Ômicron, informou a empresa norte-americana “Flight Aware”, especializada em fornecer dados em tempo real de voos.

Para que o leitor do “Nossa Gente” entenda a gravidade os cancelamentos de voos, após as 12h30 ET, 766 rotas que tinham como destino o país da América do Norte já haviam sido suspensas. Esse número de 766 voos cancelados é um pouco menos do que quase 1.000 no sábado de Natal e 700 na véspera de Natal, na sexta-feira , de acordo com a “Flight Aware.”

No mundo, 2.316 rotas já foram suspensas no domingo, enquanto 8.071 sofreram atrasos. A véspera de Natal, um dos dias mais movimentados do ano, já começou com a suspensão de centenas de roteiros nos EUA, mas a situação piorou com o passar do dia e, nos dois dias seguintes, as principais companhias aéreas norte-americanas anunciaram mais cancelamentos .

De acordo com a “Flight Aware”, as empresas com mais cancelamentos ainda são a “Delta Airlines”, com 131 ou 5% de seus planos de vôo cancelados neste domingo, seguida pela “Jetblue” – 110 ou 10% dos itinerários suspensos –, e “United” (100 ou 4%).

A “United” garante que o aumento das infecções por Ômicron no país está tendo um “impacto direto” nas tripulações e no restante do pessoal da empresa, que precisam ficar em casa para se recuperar da doença e não infectar outras pessoas.

Por sua vez, a “Delta” atribuiu os cancelamentos à Ômicron, mas também às condições meteorológicas com tempestades de neve que ameaçam o oeste dos EUA, do estado de Washington ao sul da Califórnia.

No entanto, outras companhias aéreas como “American” e “Southwest”, garantiram que suas operações estão se desenvolvendo normalmente e dificilmente sofreram cancelamentos.

A variante Ômicron tem causado um aumento das infecções em todo o mundo e tem feito com que alguns países europeus, como Alemanha, Portugal e Finlândia, reimponham restrições aos setores de lazer e hotelaria.

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, essa variante já se tornou a predominante no país, pois entre 12 e 18 de dezembro foi responsável por 73,2% dos casos novos. Os EUA continuam sendo um dos países mais afetados pela pandemia Covid-19, com mais de 816.000 mortes e 52,1 milhões de infecções desde março de 2020, indica a contagem da “Universidade Johns Hopkins.”