Campanha antifumo fez 200 mil largarem vício nos EUA, diz estudo

Campanha antifumo fez 200 mil largarem vício nos EUA, diz estudo

Dados foram divulgados nesta semana pela revista científica ‘The Lancet’.
Iniciativa do governo norte-americano ocorreu em 2012.

Campanhas antifumo ajudaram combater o tabagismo nos EUA, diz estudo (Foto: Vanessa Bahé/G1
Campanhas antifumo ajudaram combater o tabagismo nos EUA, diz estudo (Foto: Vanessa Bahé/G1)

Estudo realizado nos Estados Unidos sugere que campanhas antifumo tiveram efeito positivo na população e que ajudaram 200 mil pessoas a abandonarem o vício em 2012, de acordo com dados de autoridades sanitárias do país.

Segundo o Centro para o Controle e a Prevenção de Doenças (CDC), cerca de 1,6 milhão de fumantes tentaram deixar o vício do cigarro, mais de 200.000 conseguiram abandoná-lo e mais de 100 mil viraram não fumantes permanentes após verem os anúncios publicitários “Conselhos de ex-fumantes”, uma campanha da agência federal.

Realizada entre 19 de março e 10 de junho de 2012, foi a primeira iniciativa paga pelo governo dos EUA para convencer o maior número possível de pessoas a parar de fumar, considerada a principal causa de morte evitável.

Ainda segundo a investigação científica, 80% dos fumantes e 75% dos não fumantes viram a campanha. As ligações telefônicas a números especiais para pedir aconselhamento dobraram durante a campanha e as visitas a sites na internet, dedicados ao tema quintuplicaram em comparação com o mesmo período do ano passado, destacou o estudo.

Guerra contra o fumo
A campanha, que custou US$ 54 milhões, “é uma resposta importante aos US$ 8 milhões que a indústria do tabaco gasta todo ano para tornar atraente o consumo de cigarros”, destacou o comunicado.

Quase um em cinco adultos nos Estados Unidos fuma. Mais de 1.200 pessoas morrem por dia e 440.000 ao ano por efeitos do tabaco.

O custo das doenças relacionadas ao tabaco é equivalente a US$ 96 bilhões anuais em cuidados com a saúde e US$ 97 bilhões em perdas de produtividade, segundo o CDC. As autoridades americanas lançaram uma segunda campanha na primavera de 2013 no hemisfério norte.

Fonte: g1.globo.com (Da France Presse)