Brasileiro indicado ao ‘Prêmio Nobel’ desenvolve novo modelo de negócios que gera empregos no mundo

Flávio Duncan cria plataforma de conexão de serviços à distância que conecta empresários

 

Com um histórico de trabalho humanitário reconhecido internacionalmente, Flávio Duncan – escritor e especialista em Marketing e gestão estratégica – tem estratégias importantes que podem mudar vidas. Através de sua agência, criou uma plataforma de conexão de serviços à distância que conecta empresários dos mais variados seguimentos as suas demandas, além de gerar empregos à distância

 

Da Redação

Flávio Duncan, em tempos de momentos difíceis no Brasil, o brasileiro engajado em questões sociais, cria e executa projetos que têm mudado a vida de pessoas, apontando horizontes, aquecendo nichos econômicos e elevando o nome do Brasil no exterior. Formado em Administração, especializado em Marketing e gestão estratégica, Duncan que também é escritor, autor de seis obras literárias vendidas em mais de dez países, tem um histórico invejável – mérito reconhecido internacionalmente –, que o levou a ser indicado ao “Prêmio Nobel da Paz”.

 

Estratégias que criam emprego em todo o mundo – Residindo nos EUA desde novembro de 2019, Duncan com poucos meses de chegada em território americano, iniciou a implantação de uma plataforma virtual de serviços que ajudam e protegem os imigrantes em fase de legalização no país. A proposta que ainda passa por fase de implantação, possibilita que o imigrante ingresse na contratação de serviços abaixo dos valores de mercado, com possibilidade de acompanhamento de processos em tempo real, inibindo práticas abusivas e gerando protocolos de segurança que evitam fraudes que lesaram imigrantes de várias nacionalidades, inclusive brasileiros.

“Tenho acompanhado a luta dessas pessoas que almejam a legalização, e não meço esforços para ajuda-los. A proposta da rede é exatamente oferecer informação e possibilitar que através de contato pelo whatsapp, por exemplo, haja possibilidade de acompanhar o andamento dos processos em tempo real. Contratei três profissionais para me assessorar neste trabalho e acompanho tudo de perto, ouço as pessoas e entendo o fluxo de tudo, para que o projeto piloto dê origem a algo com grande qualidade de forma transparente e acessível,” relata.

 

Independência no trabalho – O trabalho de Duncan não para por aí. Dono de uma das agências que despontam como promessa no mercado americano, através de planejamento estratégico, tem norteado empresários em várias partes do mundo, incluindo o Brasil, que enfrentam dificuldades em seus respectivos negócios a tomar decisões em tempos de pandemia.

“Eu me especializei em estratégia de mercado, e quando cheguei aos Estados Unidos, percebi que minha empresa poderia desenvolver um trabalho mais amplo e eficiente nessa área, possibilitando os empresários potencializarem seus resultados. Enga-se quem acha que marketing é apenas manipulação de redes sociais. Há muitas empresas ou pessoas que entendem superficialmente de marketing e acreditam que se resuma apenas a plataformas de internet e métricas de utilização. Você pode ter o site mais lindo do mundo, com publicações mais bacanas, com layouts bonitos, adotando todas as regras de utilização. Se isso é feito sem estratégia e sem propósito, é desperdício de tempo e dinheiro”, alerta.

“Fazer uma empresa ter resultados positivos no meio de uma pandemia, parecia tarefa impossível. Até pros profissionais com a mesma formação que eu, que me desencorajavam e me aconselhavam a desistir. Provamos que fazer o impossível era questão de tempo. É claro que existem entraves, como os curiosos que se denominam profissionais da área e oferecem serviços limitados aos clientes. Isso gera dúvida e insegurança no mercado.”

“As pessoas têm medo de apostar no trabalho e investir no próprio negócio, mas a gente mostrou nosso valor com resultado e tem conquistado lugar em meio competitivo mercado americano. A coisa só fica complicada quando o cliente vem de uma cultura centralizadora, se prendendo a layouts, designs ou detalhes nas peças de divulgação, que na verdade não fariam muita diferença no retorno que podemos oferecer. Isso prende, nos deixa estagnados, mas aos poucos a gente vai orientando, oferecendo informação e soltando as amarras, fazendo a coisa acontecer.”

“Crescer em momentos de insegurança, se reinventar, auxiliar pessoas a prosperar, conectar profissionais e auxiliar a aquecer a economia em países devastados pela pandemia é algo que a gente não esperava. A ideia era criar uma agência virtual, nos conectando com empresários, apresentando alternativas positivas com resultados imediatos. A partir daí eu comecei a criar pontes, oferecer soluções e percebi que eu podia oferecer solução pra todo mundo, desde quem contrata a quem precisa do emprego e quem precisa de estratégia. Se alguém me perguntar o que eu faço, eu acho que a resposta é essa, eu crio pontes, eu gero conexão entre o problema e a solução”, afirma Flávio.

“Uma vez uma pessoa me perguntou o que eu esperava que as pessoas fizessem em momentos de crise, e eu lembro de ter respondido que eu esperava que elas se ajudassem e é exatamente isso que fazemos. Além de gerar empregos e oferecer serviços de qualidade, a gente mostrou que é capaz de fazer isso usando tecnologia, com baixo custo e isso vem impactando os curiosos do seguimento, que ofereciam serviços meramente publicitários e sem propósito algum e grandes empresas que já passam a nos perceber com outros olhos.”

 

Indicação ao “Prêmio Nobel”

Livro “Pescador de Ideias” – No Brasil, Flávio Duncan esteve voltado a Projetos humanitários desde os 18 anos de idade. Desenvolvedor da primeira grande rede de responsabilidade social do Brasil, se tornou conhecido internacionalmente pelo mapeamento realizado na América Latina, com população em situação de rua nos centros urbanos, denunciando epidemias de uso de crack nas grandes cidades. O trabalho, que deu origem ao livro, “Diários do Meio Fio”, com depoimentos reais de pessoas que estavam nas ruas, até hoje, oito anos depois de seu lançamento, é sucesso de vendas.

Com implantação de ações que intermediaram geração de empregos, acesso a educação e capacitação para o mercado de trabalho, os projetos realizados por Duncan têm marcas visíveis nas regiões onde foram implantados, auxiliando no aumento do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano.

“Há cidades onde foi possível fazer mais atendimentos através de meus projetos e mais intervenções do que o próprio poder governamental. Recebo mensagens dessas pessoas até hoje, agradecendo e dizendo o quanto suas vidas mudaram. Isso me faz acreditar no quanto a gente pode transformar o mundo com iniciativas que dependem apenas de uma boa ideia e resiliência”, afirma Duncan.

Com o crescimento de seu trabalho, passou a ganhar autoridade para questões ligadas ao desenvolvimento social e se tornou referência sobre o assunto. Em 2012, o trabalho de Duncan era tão robusto que acabou culminando numa indicação ao “Prêmio Nobel da Paz”, fazendo com que o brasileiro figurasse como uma das poucas pessoas no mundo vivas, reconhecidamente indicadas e o mais jovem da história da premiação no Brasil.

 

“Dar voz a quem precisa”

Curiosamente, quando se refere ao seu lado com livros – Mesmo sendo criador de importantes obras como: “Pescador de Ideias”, “Diários do “Meio Fio” e “Preconceito” –, Duncan diz que não se considera um bom escritor.

“Embora alcançasse as marcas de vendagem que eu alcancei e ter o número de vendagens que eu tive todos esses anos, eu entendo que viver de literatura é complicado, e não me considero um bom escritor. O meu trabalho se pauta durante anos com foco no terceiro setor, porque eu realmente milito e defendo algumas questões.”

“Tenho muito orgulho de ser brasileiro, não importa onde eu esteja, sempre darei voz as questões que eu acredito serem importantes, essa é a relevância do meu trabalho, transformar. Isso é muito mais gratificante que a indicação a prêmios internacionais, como o ‘Prêmio Nobel’. Estudei e me preparei para exercer aquilo que faço e faço com lealdade ao que eu acredito. Respeitar as pessoas parece um bônus e na verdade é obrigação de todos nós. Eu aprendi isso dentro de casa. Todos os dias eu penso em cada passo que eu dou e me preocupo em ser leal e verdadeiro com as pessoas ao meu redor.”

“Recebo e-mails de empresários me pedindo orientação porque sabem que posso oferecer instrumentos para que essas pessoas possam virar o jogo nesse momento conturbado. Isso não é apenas a contratação de um serviço, ou vislumbre com um modelo de negócio atraente, é saber que alguém confia em suas mãos o trabalho de uma vida, o sustento de uma família e o legado de toda uma jornada e eu sei o quanto isso é sério. Não pretendo parar por aqui” , acrescenta.

 

Serviço

Contato da agência: info@twogatheragency.com