‘Brasileiro fica doidinho aqui’, diz professor sobre liquidações nos EUA

‘Brasileiro fica doidinho aqui’, diz professor sobre liquidações nos EUA

Preços despencam nas liquidações após o Natal, nos Estados Unidos, e brasileiros aproveitam para ir às compras.

Foto: Gilberto Taday
Foto: Gilberto Taday

Nos Estados Unidos, a liquidação depois da noite de Natal é uma instituição nacional.

E os preços, em alguns casos, despencam de verdade.

Em Nova York, o clima ainda é de Natal. Ruas lotadas, sacolas para todo lado. Nesta quinta-feira, teve até neve. No dia internacional da troca, as lojas ficaram cheias. E fizeram de tudo pra vender ainda mais.

“De 24 pra hoje está realmente com os preços bem melhores algumas coisas com 70% de desconto. Então, a gente faz na calculadora e fica até impressionado com o preço”, comenta o economista Mário Costanski.

É pra ficar mesmo. A tentação está por todos os lados. E a esperança dos lojistas é recuperar nos próximos dias as vendas que na semana que antecede o Natal não foram tão boas, por causa do mau tempo.

Promoção, desconto. Palavras que os comerciantes levam a sério nos Estados Unidos. É que os americanos dão valor a cada centavo que têm no bolso. E se a oferta não for para valer, eles simplesmente não levam o produto.

Os cariocas Alexander e Mariana aproveitaram: a calça com 39% de desconto. E mais: com a redução de 65%, cada relógio saiu pelo equivalente a R$ 30. “Brasileiro fica doidinho aqui, fica perdido. esquece até filho. A gente vê carrinho abandonado com criança”, conta Alexandre Teles, professor.

A estudante Mariana está feliz da vida com o tênis novo. Ela economizou o equivalente a R$ 178.

Fonte: g1.globo.com