‘Boicote diplomático’ dos EUA aos ‘Jogos de Inverno de Pequim’ tem apoio de Biden

Corpo diplomático dos EUA pode boicotar os “Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim”

 

Vem sendo discutido o “boicote diplomático” dos EUA aos “Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim”, que acontecem em fevereiro do próximo ano. O presidente Joe Biden é favorável ao “boicote”, que poderá vetar a ida de diplomatas do país na abertura das competições

 

Da Redação

Já se fala em “boicote diplomático” dos EUA aos “Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim”, que acontecem em fevereiro do próximo ano. O presidente Joe Biden reforça essa possibilidade, embora não tenha dado maiores detalhes sobre o boicote, como ocorreu em 1980 nas “Olimpíadas de Moscou” (URSS) — em plena Guerra Fria. No caso da China, o país irá enviar a delegação, mas sem a presença de representantes diplomáticos à cerimônia de abertura, rompendo uma tradição.

O boicote americano é em protesto ao tratamento dado pelo governo de Xi Jinping à minoria muçulmana uigur na província de Xinjiang, no leste do país. O Ocidente pressiona a China para interromper os massacres e as prisões, enquanto Pequim nega excessos. O ex-presidente Donald Trump classificou a China como “país genocida”, pelos atos cruéis.

Importante lembrar que a relação entre a China e os EUA também passa por crises em outras áreas, como a escalada militar em Taiwan e a pressão de Hong Kong, território autônomo cada vez mais submetido a Pequim.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse nesta quinta-feira que os EUA estão preocupados com abusos nos direitos humanos, mas se negou a dizer quando uma decisão sobre as Olimpíadas será tomada.

Além disso, o secretário de Estado, Antony Blinken, disse que o governo americano discutiu com aliados como ocorreria a participação nas Olimpíadas de Pequim. Nada, porém, foi decidido.