Black Friday é sinônimo de descontos e confusão nos EUA e na Inglaterra

Black Friday é sinônimo de descontos e confusão nos EUA e na Inglaterra

Policiais separam briga dentro de loja nos Estados Unidos
Policiais separam briga dentro de loja nos Estados Unidos

A corrida às compras provocada pelo Black Friday nos Estados Unidos e na Inglaterra contrastam com os tímidos avanços das promoções realizadas no Brasil. Nos EUA, onde o dia de descontos já é uma tradição, imagens de filas gigantes na frente de lojas e de empurra empurra na abertura dos portões mostram a confiança dos consumidores. Assim como os norte-americanos, os ingleses também se aglomeram para tentar garantir produtos com bons preços.

Nos dois países, a selvageria na disputa por produtos muitas vezes vira caso de polícia. Em Bristol, na Inglaterra, um homem foi preso depois de ser agredido ao reclamar por não poder comprar duas televisões em promoção. Segundo testemunhas, ele foi agredido por seguranças ao bater boca com funcionários da rede Asda e acabou algemado pela polícia.

Nos Estados Unido, vários vídeos foram colocados na internet mostrando a luta de compradores nas gôndolas de supermercados. As brigas são tantas, que no YouTube o primeiro indicativo de busca sugerido pelo site ao se digitar “Black Friday” é justamente a palavra fight (briga em inglês).

O site New York Daily notíciou dezenas de feridos pelo país. No estado de Virginia, um homem foi esfaqueado ao disputar uma vaga no estacionamento do Walmart.

Em Chicago, a polícia disparou contra um suposto ladrão de lojas que estaria fugindo de carro com mercadorias roubadas.

Durante o Black Friday, ambulâncias e viaturas policiais são colocadas em pontos estratégicos para atender emergências em grandes lojas de departamento.

Enquanto no Brasil as redes sociais fervilham de orientações para evitar golpes virtuais e fraudes nos preços, nos Estados Unidos a grande preocupação são os roubos durante o frenesi da compra.

Fonte: em.com.br